MERCADO AGORA: Veja o comportamento dos negócios até o momento

125
Gráfico

São Paulo – Dados mais fortes da economia chinesa neste início de semana e a primeira fase de um acordo comercial entre China e Estados Unidos mantêm o Ibovespa em alta, superando os 113 mil pontos pela primeira vez, renovando mais uma vez sua máxima histórica

Às 13h30 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 0,50%, aos 113.113,88 pontos, após atingir a nova máxima histórica de 113.196,83 pontos. O volume negociado era de R$ 6,538 bilhões.

As vendas no varejo da China cresceram 8,0% em novembro em base anual, enquanto a produção industrial subiu 6,2% na mesma base de comparação, superando previsões de analistas.

A primeira fase do acordo comercial sino-americano continua, com a suspensão de tarifas pelos Estados Unidos, que passariam a vigorar ontem, embora investidores sigam com dúvidas sobre os termos do acordo e esperem sua concretização. O secretário norte-americano do Comércio, Steven Mnuchin, disse que o acordo será assinado no início de janeiro.

Em relação à moeda, o dólar comercial opera em queda de 0,87%, negociado a 4,0730 para venda, também refletindo o otimismo global com o arrefecimento da guerra comercial entre Estados Unidos e China. Dados da economia chinesa ajudam o melhor comportamento de moedas de países emergentes.

Para o operador da corretora Advanced, Alessandro Faganello, “conforme vão sendo esclarecidos os detalhes da conclusão da fase um do acordo comercial, os mercados reverberam reflexos e projetam o que pode vir pela frente”.

Segundo ele, o arrefecimento das tensões entre os países traz um alívio que contribui para um melhor desempenho dos mercados emergentes.