MERCADO AGORA: Veja um sumário do comportamento dos negócios até o momento

Por Danielle Fonseca, Flavya Pereira e Olívia Bulla

São Paulo – O Ibovespa opera em queda nesta manhã seguindo o tom maior cautela no exterior, antes da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) e após indicadores norte-americanos. No Brasil, também é esperada a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), mas pesam alguns balanços corporativos mais fracos e ruídos políticos, depois que o nome do presidente Jair Bolsonaro apareceu na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco.

Por volta das 13h30 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava queda de 0,44% aos 107.077,14 pontos. O volume financeiro do mercado era de aproximadamente R$ 8,3 bilhões. No mercado futuro, o contrato de Ibovespa com vencimento em dezembro de 2019 apresentava recuo de 0,65% aos 107.675 pontos.

No exterior, as bolsas norte-americanas operam perto da estabilidade e os índices europeus em queda depois que alguns dados dos Estados Unidos, como o PIB do país, vieram acima do esperado pelo mercado, adicionando dúvidas sobre a continuidade do ciclo de corte de juros. A expectativa hoje é que o Fed corte a taxa de juros em 0,25 ponto percentual (pp), mas há incertezas sobre quais sinalizações serão dadas.

“Nunca se sabe que ponto da decisão do Fed o mercado pode olhar, mas a expectativa é de corte e não espero muitas surpresas hoje”, disse o analista da Guide Investimentos, Luís Salles.

Já na cena doméstica, as ações do setor financeiro pesam sobre o índice, com os papéis de bancos mostrando fortes quedas, puxadas pelo Santander, que divulgou hoje seu balanço trimestral. Para o analista da Guide, os dados do Santander foram positivos, mas não chegaram a surpreender o mercado, o que pode ter levado a uma realização de lucros. Ele destaca que o discurso um pouco “pé no chão” da diretoria em teleconferência com analistas também pode ter ajudado numa realização.

Outros papéis que refletem balanços e mostram a maior queda do Ibovespa hoje são os da Cielo, que ainda mostraram alguns dados mais fracos do que o esperado, com a companhia sentido a concorrência.

Na contramão, as maiores altas do Ibovespa são das ações do Magazine Luiza, que mostrou resultados trimestrais mais fortes que o previsto. Também avançam as ações da B2W e da Multiplan.

No âmbito político local, investidores acompanham possíveis consequências de reportagem do “Jornal Nacional”, que afirmou que um dos suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco teria entrado no condomínio do presidente Jair Bolsonaro e dito que iria à casa onde mora a família Bolsonaro. “Isso não ajuda [a notícia], pelo contrário, em um momento em que o governo precisa colocar outras reformas em pauta”, disse o analista.

Mais tarde, depois do fechamento do mercado, ainda será a vez de Copom anunciar um possível novo corte de juros.

O dólar comercial segue em alta frente ao real, acima do nível de R$ 4,00, à espera da decisão de política monetária do Fed, em que investidores não só aguarda pelo corte de 0,25 pp na taxa de juros como está na expectativa para os próximos passos do Fed, que deve reagir aos indicadores divulgados hoje e que ficaram acima do esperado.

Por volta das 13h30, o dólar comercial registrava alta de 0,49%, sendo negociado a R$ 4,0230 para venda. No mercado futuro, o contrato da moeda norte-americana com vencimento em novembro de 2019 apresentava avanço de 0,53%, cotado a R$ 4,020.

“O mercado espera o anúncio de uma pausa no ciclo de afrouxamento monetário nos Estados Unidos. A curva de juros já sinaliza isso”, comenta a economista da Capital Markets, Camila Abdelmalack.

Ela acrescenta que a pressão da moeda no mercado doméstico também se deve à tradicional “disputa” pela formação de preço da taxa Ptax – média das cotações apuradas pelo Banco Central (BC) – de fim de mês. “Tem essa questão técnica na disputa entre comprados e vendidos na véspera da formação da taxa”, diz.

Mais cedo, os dados do setor privado dos Estados Unidos apontaram a criação de 125 mil vagas de trabalho, enquanto as projeções eram de 100 mil vagas. Já o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano cresceu 1,9%, ante expectativa de 1,6%, no terceiro trimestre.

“Esses dados ajudam na leitura de que o Fed deverá reduzir o estímulo monetário no país. Ou seja, este pode ser o corte de juros derradeiro. Antes do discurso do presidente do Fed [Jerome Powell], o comunicado já deve sinalizar o que eles vão fazer a partir de agora”, reforça.

As taxas dos contratos futuros de juros (DIs) exibem leves altas, acompanhando o sinal positivo vindo do dólar, mas as oscilações são estreitas, com os investidores à espera das decisões de juros do Copom e do Fed. Enquanto aguarda, o mercado doméstico também monitora a cena política local.

Às 13h30, o DI para janeiro de 2020 tinha taxa de 4,745%, de 4,757% no ajuste de ontem; o DI para janeiro de 2021 estava em 4,39%, de 4,37% após o ajuste anterior; o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 5,40%, de 5,36%; e o DI para janeiro de 2025 tinha taxa de 6,08%, de 6,05%, na mesma comparação.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com