MERCADO AGORA: Veja um resumo dos negócios até o momento

413

São Paulo – O Ibovespa segue em forte alta no pregão de hoje. O índice já subia mais de 3% antes mesmo da abertura dos mercados norte-americanos. Os investidores mostram otimismo com a sinalização dos bancos centrais em socorrer o mercado, tanto no lançamento de pacotes de ajuda, como na compra de títulos no mercado financeiro.

Por volta das 13h30 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava valorização de 3,38% aos 80.888,55 pontos. O volume financeiro do mercado era de aproximadamente R$ 13,6 bilhões. No mercado futuro, o contrato de Ibovespa com vencimento em junho de 2020 apresentava avanço de 3,59%, aos 81.055 pontos.

“Outro fator que ajuda na melhora do humor dos investidores vem com a proximidade do fim da quarentena em algumas regiões do planeta. Os governos da Itália, Espanha e França anunciaram planos para a volta gradativa do isolamento das pessoas e nos EUA o governador de Nova York reabrirá gradualmente a economia após 15 de maio”, explicou em relatório o Pedro Galdi, analista de investimentos da Mirae Asset Corretora.

“Aqui no Brasil algumas regiões já iniciam a retomada da economia no sul do país. Vítima da pandemia, o preço do petróleo exibe mais um dia de queda, com o WTI sendo negociado hoje na faixa de US$ 12,00/boe”, acrescentou Galdi.

Em queda desde a abertura dos negócios, o dólar comercial desacelerou as perdas, após cair mais de 2%, em meio ao otimismo que prevalece nos ativos globais com a expectativa de retomada das atividades econômicas nos principais países da Europa e em parte dos Estados Unidos nos próximos dias após mais de um mês de isolamento social em decorrência do novo coronavírus.

Por volta das 13h30, o dólar comercial registrava queda de 1,94%, sendo negociado a R$ 5,5580 para venda. No mercado futuro, o contrato da moeda norte-americana com vencimento em maio de 2020 apresentava recuo de 1,76%, cotado a R$ 5,557.

Os governos da Itália, Espanha e da França anunciaram planos para a volta gradativa das atividades econômicas após isolamento iniciado em março. Nos Estados Unidos, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, diz que vai reabrir a economia gradualmente no estado após 15 de maio. Enquanto aqui, algumas regiões já iniciam a retomada da economia no sul do país.

O índice de confiança do consumidor dos Estados Unidos medido pelo Conference Board caiu para 86,9 pontos em abril, depois de ter registrado 118,8 pontos em março (dado revisado). Analistas esperavam queda para 90,0 pontos em abril, após a leitura original de 120,0 pontos em março. “O dado veio ruim, mas veio dentro do esperado”, comenta o consultor de câmbio de uma corretora local.

As taxas dos contratos de juros futuros (DIs) seguem em queda, reagindo ao resultado menor que o esperado da prévia deste mês da inflação oficial ao consumidor brasileiro (IPCA-15), que amplia as expectativas de corte de 0,50 ponto percentual (pp) na Selic na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na semana que vem.

Às 13h30, o DI para janeiro de 2021 tinha taxa de 2,905%, de 3,20% após o ajuste de ontem; o DI para janeiro de 2022 estava em 3,72%, de 4,22% no ajuste anterior; o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 5,00%, de 5,70%; e o DI para janeiro de 2025 tinha taxa de 6,81%, de 7,50%, na mesma comparação.