Membros do Banco do Japão defendem mais análises de resposta a covid-19

143
Sede do Banco do Japão / Foto: Banco do Japão

São Paulo – Alguns membros Conselho do Banco do Japão (BoJ) afirmaram que são necessárias mais análises sobre como a política monetária deve lidar com a pandemia do novo coronavírus, de acordo com a ata da reunião realizada nos dias 16 e 17 de setembro.

“O banco deve examinar a conduta apropriada da política monetária durante a era covid-19, levando em consideração as  realizações e lições aprendidas até o momento”, disse um membro, citando efeitos positivos da flexibilização monetária em larga escala.

Outro membro disse que para formular respostas monetária rapidamente é importante manter a cooperação com o governo, que tem sido efetiva. Segundo a ata, os membros também discutiram estratégias de crescimento e reformas estruturais.

“Para atingir a meta de estabilidade de preços, é essencial, principalmente para pequenas e médias empresas, implementar reformas para aumentar a produtividade, além de cortar custos”, disse um membro. Para ele, o BoJ deve apoiar reformas no setor privado.

Outro integrante disse que o banco precisa discutir como a política monetária pode contribuir para resolver problemas estruturais como a digitalização e melhorar a posição de funcionários não regulares, “do ponto de vista de alcançar tanto a contenção da disseminação da covid-19 e melhora da atividade econômica durante a era covid-19”.

O documento mostra ainda que, segundo um membro, “é importante garantir a sustentabilidade da política, incluindo abordar seus efeitos colaterais, dado que prevê-se que a flexibilização monetária se prolongará”.

Por fim, “um membro disse que seria necessário reconsiderar a estratégia para atingir a meta de estabilidade de preços de forma abrangente, visto que o caminho para alcançar a meta não estava à vista em meio à situação de mudanças significativas na evolução econômica”.

Segundo a a ata, “as incertezas permanecem extremamente altas sobre as consequências da covid-19 e a magnitude de seu impacto sobre as economias”. No Japão, a economia “começou a se recuperar com a retomada gradual da atividade econômica, embora tenha permanecido em uma situação grave devido ao impacto do covid-19 em casa e no exterior”.

Em setembro, o BoJ manteve sua política monetária inalterada, com a taxa de depósitos em -0,1% e a meta para juros de 10 anos em zero, e melhorou sua avaliação da economia do país, afirmando que a recuperação da pandemia do novo coronavírus começou.