Membros do banco central do Japão têm perspectivas diversas para inflação

Sede do Banco do Japão / Foto: Banco do Japão

São Paulo – Os membros do Conselho do Banco do Japão (BoJ) mostraram perspectivas diferentes para a inflação no país, com alguns esperando aceleração com os altos preços de commodities à medida que a recuperação econômica avança, enquanto outros destacaram o consumo privado fraco, de acordo com a ata da reunião dos dias 17 e 18 de junho.

“Os membros compartilharam o reconhecimento de que ao índice de preços ao consumidor ano a ano deve permanecer em torno de zero no curto prazo e posteriormente aumentar gradualmente, principalmente devido à melhoria contínua na atividade econômica, o aumento dos preços da energia e a dissipação dos efeitos da redução em tarifas de telefonia móvel”.

Segundo a ata, muitos membros expressaram a opinião de que o índice de preços ao produtor também subiu, refletindo um aumento nos preços internacionais das commodities, e que isso pode contribuir para elevar o índice de preços ao consumidor.

“Um desses membros disse que, a partir do segundo semestre de 2021, esperava-se que o ambiente em torno dos preços melhorasse e a taxa de inflação provavelmente aumentaria à medida que a demanda reprimida começasse a se materializar”.

Ao mesmo tempo, um membro alertou que há o risco de que os preços sejam empurrados para baixo, com altas incertezas quanto à evolução salarial, de acordo com a ata.

Alguns membros destacaram que os preços subiram para uma ampla gama de itens com avanços na demanda global, mas “a economia do Japão, e mesmo os preços, poderiam ser empurrados para baixo por meio da deterioração dos termos de comércio se esta situação persistir por um período prolongado e se a movimentação de empresas para passar as altas de custos aos preços não progredirem o suficiente”.

Com relação ao consumo privado, os membros concordaram que esteve estagnado devido a forte pressão de queda sobre o consumo de serviços, e deve permanecer em um nível relativamente baixo no curto prazo. “Posteriormente, espera-se que se recupere com o progresso das vacinações e a redução do impacto da covid-19”.

Por fim, a economia do Japão em geral acelerou como uma tendência, mas permanece em uma situação grave devido ao impacto da pandemia, e “provavelmente caminhará para uma recuperação, apoiada por um aumento na demanda externa, condições financeiras acomodatícias e as medidas econômicas do governo”.

Na reunião de junho, o BoJ manteve sua política monetária inalterada, com taxa de depósitos em -0,1% e a meta para juros de 10 anos perto de zero, ao mesmo tempo em que anunciou uma linha de crédito para ajudar bancos a se protegerem de mudanças climáticas.