Medicação altera estado de Trump e comissão deve avaliá-lo, diz Pelosi

208
O presidente norte-americano, Donald Trump, caminha usando máscara do lado de fora da Casa Branca / Foto: Casa Branca

São Paulo – A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, disse que a medicação contra covid-19 altera o estado do presidente do país, Donald Trump, e anunciou planos de criar uma comissão para avaliar se ele está em condições de permanecer no cargo ou se é necessária uma transferência de poder.

“Claramente ele está sob medicação. Qualquer um de nós que está sob medicação dessa gravidade está em um estado alterado. Ele se gabou da medicação que tomou e, novamente, há artigos de profissionais médicos dizendo que isso poderia ter um impacto no seu julgamento”, disse Pelosi, em coletiva de imprensa com o deputado democrata Jamie Raskin.

“Membros do Congresso tem o dever de tomar todas as medidas necessárias para preservar a continuidade do governo e proteger a estabilidade e integridade da nossa democracia para o futuro”, disse Pelosi.

Assim, ela anunciou o projeto de lei do deputado Raskin de criar a Comissão de Capacidade Presidencial para exercer os poderes e deveres do cargo. “Isso não é sobre Trump. Ele enfrentará o julgamento dos eleitores”, disse Pelosi, acrescentando que o projeto honra os deveres do Congresso, com base na 25 emenda.

Raskin disse, na mesma coletiva, que a pandemia ressaltou a necessidade de o Congresso norte-americano estabelecer uma instituição bipartidária e bicameral que possa avaliar a saúde do presidente em circunstâncias extremas.

“Precisamos pensar nisso em termos constitucionais. É por isso que precisamos criar uma instituição composta de forma bipartidária, bicameral, que poderá fazer julgamentos seja daqui a cinco meses, daqui a cinco anos, daqui a 50 anos, quando for”, afirmou.

Trump testou positivo para o novo coronavírus na semana passada, e chegou a ser internado por três dias no hospital militar Walter Reed. O presidente teve alta na última segunda-feira, dia 5 de setembro, e seguem em tratamento na Casa Branca.