Markeplace em alta faz Magazine Luiza manter foco nas vendas digitais

123
Fachada de Loja do Magine Luiza

São Paulo – O Magazine Luiza divulgou ontem o balanço do primeiro trimestre de 2022. A companhia teve prejuízo líquido de R$ 161 milhões, revertendo o lucro líquido de R$ 258 milhões do mesmo período do ano passado. A receita líquida subiu 6,2% ante o ano passado, somando R$ 8,7 bilhões.

Na teleconferência realizada na manhã de hoje, o presidente da companhia, Frederico Trajano, enfatizou que o primeiro trimestre foi marcado pela evolução na rentabilidade da operação, buscando equilíbrio entre crescimento e rentabilidade, principalmente para as categorias de bens duráveis.

“Repassamos para o preço final a inflação de custo dos produtos que comercializamos e o aumento da taxa de juros, o que foi refletido na margem bruta. Os níveis de estoque foram ajustados, com redução do saldo em mais de R$ 1 bilhão comparado ao fechamento de 2021”, explicou o executivo.

A companhia também destacou que a margem ebitda ajustada nos primeiros três meses do ano foi de 5,0%, uma expansão de 2,4 p.p. na comparação com o quarto trimestre de 2021. Outro ponto importante comentado na teleconferência foi o avanço das vendas no e-commerce, com alta de 16,2% e faturamento de R$10,2 bilhões.

Dentro desse universo, o destaque foi o marketplace, conhecido como 3P. No primeiro trimestre de 2022, as vendas realizadas pelos sellers cadastrados no site da companhia cresceram 49,9% na comparação com o mesmo período de 2021. As vendas superaram R$ 3,6 bilhões no trimestre e representaram 36% das vendas online.

O ganho de marketshare foi impulsionado pela performance do app, com 40 milhões de usuários ativos mensais, além da entrega mais rápida para 1P (vendido e entregue pela Magazine Luiza) e 3P, a evolução da base de sellers e das novas categorias, detalhou a companhia.

Segundo dados do balanço, 31% das entregas 3P foram realizadas em até 48 horas. A empresa investe agora na operação de fulfillment para acelerar ainda mais as entregas do marketplace, compartilhando toda sua estrutura logística.

Atualmente, cerca de 14 mil sellers utilizam a Agência Magalu para o drop-off dos seus itens e em 13% dos pedidos do marketplace o cliente escolhe retirar em uma das mais de 1.200 lojas habilitadas. O marketplace conta com mais de 180 mil sellers e 64 milhões de ofertas disponíveis para venda. Em um ano, foram mais de 100 mil novos sellers na plataforma, a maioria deles conectada pelo Parceiro Magalu.

Ainda sobre a evolução do seu marketplace, a companhia falou sobre o MagaluAds, que oferece aos sellers maior exposição de seus produtos e, para a companhia, os produtos patrocinados geram mais uma fonte importante de receita. A companhia também destacou o bom desempenho do KaBuM!, com vendas na casa de R$ 1 bilhão no primeiro trimestre, gerando R$ 50 milhões em lucro líquido.

Por fim, o direção do Magazine Luiza falou sobre a sua Fintech, que teve crescimento de 89% no trimestre. Destaque para o crescimento de 50% no TPV (Volume Total de Pagamentos) de cartão de crédito, que atingiu R$ 12 bilhões. Ao todo, são de mais 7 milhões cartões de crédito emitidos e R$ 19 bilhões em carteira de crédito.