Mansueto indica ser contra imposto sobre transações

215
O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

São Paulo – O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, indicou ser contra a adoção de um imposto sobre transações financeiras ou digitais por considerar que existe “muito mito” em relação a este tipo de taxação, embora não tenha mencionado quais são estes mitos.

“A questão de tributação digital, tem que ter cuidado. Na economia moderna esses impostos todos que eu falei – imposto de renda, de empresas podem ser recolhidos de forma digital, mas eu não goto de imposto sobre transações digitais ou financeiras. Tem muito mito em cima deste tipo de imposto”, disse ele durante entrevista ao site Focus.jor.

“Imposto é o que gente conhece, produção, renda, herança, tem que tornar toda essa gama de impostos com regras mais simples e mais estáveis”, disse ele, ao comentar sobre reforma tributária. Ele acrescentou ser muito importante acabar com a cumulatividade de impostos.

“Imposto tem que ser sobre valor adicionado. Não pode ter imposto em cascata que encarece o processo de produção, quando o processo de produção é muito longo. Normalmente o processo de produção é longo e ninguém produz tudo dentro da mesma fábrica. Quando tem imposto cumulativo, torna o produto final mais caro. A gente tem que acabar com a cumulatividade que ainda tem no sistema tributário. E tem que tornar mais progressivos.”

Outro problema no Brasil em relação aos impostos, segundo o secretário do Tesouro, é o número muito grande deles. “O desafio é reduzir número de impostos. Tem muitas vezes o mesmo imposto sobre a mesma base tributária, só muda o nome”, afirmou.