Mais de 600 fábricas voltam a operar na Argentina após quarentena

138
Bandeira argentina na Casa Rosada / Foto: Nações Unidas

Buenos Aires – O setor industrial argentino retoma suas atividades após mais de 50 dias de suspensão devido ao isolamento social obrigatório imposto pelo governo nacional para conter a expansão da covid-19 no país. Com a medida, mais de 600 fábricas que antes não eram consideradas serviços essenciais retornarão à produção nos próximos dias.

Segundo comunicado do Ministério do Desenvolvimento Produtivo, os ramos industriais autorizados a retomar suas atividades são: automotivo e autopeças, fabricação de motocicletas e pneus, eletrodomésticos, têxtil, calçados e roupas. Também incluem os setores metalúrgico, tabaco, gráfico, madeira, brinquedos, farmacêutico, químico e petroquímico.

No entanto, as empresas devem cumprir protocolos de segurança, que incluem a transferência de pessoal sem o uso de transporte público (em veículos fornecidos pela empresa, carros próprios ou mobilidade individual), controle dos sintomas da covid-19, medidas estritas de distanciamento social, fornecimento de material preventivo e plano de ação para o surgimento de casos suspeitos.

As fábricas que já foram reabertas são encontradas em todo o país, mas especialmente nas províncias de Buenos Aires, Córdoba, Santa Fe e Entre Ríos.

A maioria das empresas autorizadas nesta primeira etapa são pequenas e médias empresas com menos de 150 trabalhadores e quase metade não excede dez funcionários.

Tradução: Julio Viana