Mais de 50 ativos serão leiloados em 2021, diz ministro da Infraestrutura

São Paulo – Mais de 50 ativos devem ser leiloados este ano, com investimentos previstos de R$ 84 bilhões, sendo que deste total, 28 ativos serão leiloados nesta semana, com investimentos de R$ 10 bilhões, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas.

Em abertura da Infra Week, que contará com o leilão de 22 aeroportos amanhã (7), o leilão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste na quinta-feira (8) e de cinco terminais portuários na sexta-feira (9), o ministro disse estar confiante com os certames e mostrou intenção de continuar com o processo de transferência de ativos para a iniciativa privada.

“Nossa meta é contratar R$ 260 bilhões até 2022 e o pontapé inicial é com a Infra Week. O Brasil se tornará um canteiro de obras por meio da iniciativa privada. Estamos confiantes porque o mercado percebeu a forma com que estamos tratando, há uma evolução de compliance, transparência, histórico de cumprimento de contratos, e boas taxas de retornos, é isso o que o investidor almeja”, alegou.

Segundo o ministro, os modelos dos leilões, que no caso do de aeroportos está dividido em blocos, foi inspirado em outros países e já foi testado em 2019, além disso, em função da pandemia, houve conversas com investidores e detalhes foram aprimorados. A previsão é que no ano que vem seja feito mais um leilão de 16 aeroportos, em blocos.

Analistas, porém, estimam que os certames dessa semana devem ter menor concorrência em função da menor participação de investidores estrangeiros, que podem ser mais cautelosos com a situação da pandemia e o cenário político no Brasil.

Segundo o BTG Pactual, os projetos devem ter lances dominados por locais, que estão estão bem capitalizados. A agência de classificação de riscos S&P Global Ratings afirma que, embora exista apetite internacional por ativos de infraestrutura brasileiros, estrangeiros encontram-se com capacidade de investimento comprometida em meio à lenta recuperação após a pandemia.