Lula diz a Biden que Brasil e Estados Unidos estão juntos em defesa de democracia, combate às desigualdades e preservação ambiental

1005
Lula e Biden na Casa Branca Foto: Ricardo Stuckert/Presidência da República

Brasília – No encontro com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na Casa Branca, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que os dois países têm de trabalhar para enfrentar três questões: a defesa da democracia, o combate a desigualdade social e racial e a preservação ambiental.

“Nunca mais permitir que haja um novo capítulo do Capitólio e nunca mais haja o que aconteceu no Brasil com a invasão da sede do Congresso Nacional, da Suprema Corte (STF) e do Palácio do Planalto”, disse Lula a Biden, enquanto os jornalistas puderam acompanhar a reunião inicial.

Lula citou ainda o combate desigualdade social, destacando a questão racial, presente nos dois países. O presidente brasileiro destacou ainda o compromisso do governo assumido nos mandatos anteriores do PT de reduzir o desmatamento em 80% e a emissão de gases em 39%.

“Nos últimos quatro anos, a Amazônia foi invadida pela irracionalidade, porque tivemos um presidente [Jair Bolsonaro] que mandava desmatar, mandava garimpo entrar nas áreas indígenas, manda entrar nas florestas que demarcamos como reservas”, afirmou Lula, dizendo que o seu compromisso de fé é chegar ao desmatamento zero.

Segundo Lula, o desafio do seu governo será transformar a Amazônia, não em um santuário, mas em um centro de pesquisa para compartilha a riqueza e a biodiversidade para melhorar a qualidade de vida da população que vive na região.

O presidente brasileiro defendeu a construção de “um governança mundial mais forte” para enfrentamento da questão climática, seja na ONU, no G-20 ou no G-8. “Alguma coisa temos que fazer para obrigar os nossos países, os nossos congressos e os nossos empresários a acatarem decisões sobre a questão climática”, afirmou Lula.

Lula destacou a relação histórica entre Brasil e Estados Unidos e disse que os dois países têm de agir urgentemente. “Pode contar com o Brasil na luta pela democracia e pela preservação ambiental”, afirmou Lula, que agradeceu o apoio de Biden na sua posse e após o vandalismo na Praça dos Três Poderes.

Para Lula, nos últimos quatro anos, o Brasil se isolou do mundo, mas que essa postura é diferente no seu governo. “Tínhamos um presidente que não gostava de manter relações com outros países. O mundo dele começava e terminava com fake news. Ele desprezava relações internacionais”, afirmou.

“O Brasil é um país que não tem contencioso com ninguém. O povo brasileiro gosta de paz, de democracia, de trabalhar, de carnaval, de samba e de muita alegria. Este é o Brasil que estamos tentando recolocar no mundo”, completou.

Biden disse a Lula que os dois países têm agendas semelhantes de respeito à democracia e contra a violência política e os ataques às instituições. Para o presidente norte-americano, a defesa dos valores democráticos constituem o núcleo da força dos Estados Unidos e do Brasil. Os dois países, segundo Biden, são parceiros naturais para enfrentar os grandes desafios internacionais, em especial as mudanças climáticas.