Lucro da Ultrapar cai 31,2% no 1º tri com aumento de custos

356
Foto divulgação: Grupo Ultra

São Paulo – O lucro líquido da Ultrapar caiu 31,2% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 160,9 milhões, mesmo diante de um aumento de 3,1% na receita, para R$ 21,387 bilhões, por causa de um aumento no custo de produtos e serviços vendidos e de perdas com operações financeiras.

O custo dos produtos vendidos aumentou 3,5%, para R$ 19,977 bilhões, principalmente por causa da divisão Ipiranga – reflexo da desvalorização do real ante o dólar, que encareceu os combustíveis mesmo com a redução de preços nas refinarias – e da Ultragaz – por causa do aumento no volume de vendas. Em outras divisões, esta despesa diminuiu, em alguns casos porque houve menos vendas – caso da Extrafarma.

A Ultrapar também apresentou despesa financeira líquida de R$ 168 milhões no primeiro trimestre, ante receita financeira líquida de R$ 1 milhão um ano antes, por causa da piora no resultado de operações para se proteger de variações no câmbio (hedge cambial).

“O resultado negativo da marcação a mercado dos hedges cambiais refere-se principalmente aos instrumentos derivativos contratados no primeiro trimestre de 2020 para proteção das margens operacionais da Oxiteno em reais frente à flutuação do câmbio do dólar americano”, disse a Ultrapar.

“Esse resultado foi parcialmente compensado pelo resultado positivo da marcação a mercado dos instrumentos de hedge para proteção da variação cambial sobre os bonds emitidos em dólares”, acrescentou a companhia, referindo-se a títulos de dívida denominados na moeda norte-americana.