Lucro da Ambev soma R$ 1,3 bi e empresa vê recuperação

180
Logotipo da Ambev (Divulgação)

São Paulo – O lucro líquido ajustado da Ambev, que desconsidera participação de não controladores; despesas com imposto de renda e itens não, caiu 49,4% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 1,372 bilhão. O lucro líquido caiu 51,4% no período e totalizou 1,271 bilhão na mesma base de comparação.

A receita líquida diminuiu 4,4% no trimestre e somou R$ 11,615 bilhões na base anual. O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 3,348 bilhões no trimestre, valor 33,6% menor que o visto no mesmo período de 2019.

O volume de vendas total da Ambev atingiu 33,465 milhões de hectolitros, queda de 9,2% na comparação anual. No Brasil, o volume de vendas retraiu 4,4% no segundo trimestre e totalizou 23,103 milhões de hectolitros.

Ainda no Brasil, a receita líquida foi de R$ 5,854 bilhões no período, 6,7% inferior que o visto no mesmo intervalo do ano anterior, enquanto o ebitda ajustado caiu 27,8% no período e somou R$ 1,727 bilhão.

Ao final do trimestre, a dívida consolidada da Ambev era de R$ 6,782 bilhões, alta de mais de duas vezes na comparação com dezembro de 2019.

Em relação à crise causada pela pandemia, a Ambev afirmou que o impacto total nos seus resultados futuros permanece incerto e ações serão direcionadas a atender as demandas dos consumidores, buscando uma recuperação em formato de V dos volumes e receita, enquanto espera uma recuperação mais lenta do ebitda como resultado da mudança no mix de embalagens e no mix de canais em direção ao off-trade, pressões contínuas de custo ligadas à desvalorização cambial e o impacto da crise na renda disponível dos consumidores.