Lucro cai no 3T19 impactado por queda nas entregas de aeronaves

141

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – A Boeing reportou lucro líquido de US$ 1,167 bilhão no terceiro trimestre deste ano, o que representa uma queda de 50,6% ante o mesmo período do ano anterior. Na mesma base de comparação, a receita somou US$ 19,980 bilhões, uma queda de 25,5%.

Os resultados refletem a queda nas entregas das aeronaves Boeing 737 Max, diante da suspensão de pedidos de várias empresas após dois acidentes fatais com o modelo. As entregas de aeronaves comerciais caíram 67% de julho a setembro, para 62 unidades.

O número total de pedidos em carteira no final do terceiro trimestre chegou a US$ 470.2 bilhões, uma queda de 4,1% ante os US$ 490,4 bilhões em pedidos registrados em dezembro de 2018. Do total, US$ 387,3 bilhões representam aeronaves comerciais, com quase 5,5 mil pedidos.

No segmento de aviões comerciais, a receita caiu 41%, para US$ 8,249 bilhões, e houve prejuízo operacional de US$ 40 milhões, após o lucro de US$ 2,033 bilhões registrado no terceiro trimestre do ano anterior.

O segmento de Defesa, Espaço e Segurança teve alta de 2% na receita, para US$ 7,042 bilhões, e houve lucro operacional de US$ 755 milhões, revertendo o prejuízo de US$ 247 milhões do mesmo período de 2018. Por fim, no setor de serviços houve alta de 14% na receita, para US$ 4,658 bilhões, e ganho de 23% no lucro operacional, para US$ 673 milhões.

Segundo a Boeing, para os resultados do terceiro trimestre, a empresa assumiu que a aprovação regulatória do retorno ao serviço do 737 Max começa no quarto trimestre de 2019 e que aumentará gradualmente a taxa de produção do 737 de 42 por mês para 57 por mês até o final 2020.