Líderes europeus concordam em revisar orçamento e criar fundo de recuperação

345
Ursula von der Leyen

São Paulo – Os chefes de Estado e de governo na União Europeia (UE) concordaram em criar um fundo de recuperação europeu para apoiar os países da luta contra a pandemia do novo coronavírus. Eles encarregaram a Comissão Europeia, braço executivo da UE, de reformular o próximo orçamento de longo prazo da UE.

“Este fundo deve ter uma magnitude suficiente, direcionado aos setores e partes geográficas da Europa mais afetados”, disse o presidente do Conselho Europeu, Chales Michel, em coletiva de imprensa após a reunião por videoconferência realizada ontem à noite.

“Continuamos comprometidos em dar o impulso necessário para trabalhar no fundo de recuperação e no quadro financeiro plurianual, para que um acordo equilibrado sobre ambos possa ser encontrado o mais rápido possível”, acrescentou ele. “Todos concordamos que a saúde e a segurança de nossos cidadãos vêm em primeiro lugar”.

Os líderes da UE não definiram valores para o fundo de recuperação, mas a presidente na Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse na mesma coletiva de imprensa que “não estamos falando em bilhões, mas em trilhões” de euros. Segundo ela, “o investimento deve ser concentrado nos primeiros anos e, é claro, é necessário encontrar o equilíbrio certo entre doações e empréstimos”.

A comissão vai apresentar uma proposta formal até o dia 6 de maio, disse. “Estou convencida de que existe apenas um instrumento capaz de realizar essa magnitude de tarefas por trás da recuperação e que é o orçamento europeu, claramente vinculado ao fundo de recuperação”, afirmou Von der Leyen.

“O orçamento é testado pelo tempo, todos sabem, é confiado por todos os Estados-Membros e, por si só, foi concebido para investimento, coesão e convergência”.