Líderes democratas no Congresso concordam com proposta de Trump

199
A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi / Foto: Nancy Pelosi

São Paulo – Os líderes democratas do Congresso dos Estados Unidos concordaram com a proposta do presidente do país, Donald Trump, de aumentar o valor dos pagamentos diretos a famílias como parte do pacote de estímulos de US$ 900 bilhões pelo novo coronavírus.

“Os republicanos recusaram-se repetidamente a dizer quanto o presidente queria para cheques diretos. Por fim, o presidente concordou em US$ 2 mil – os democratas estão prontos para levar isso ao plenário esta semana por consentimento unânime. Vamos fazer isso!”, disse a presidente da Câmara dos Deputados, a democrata Nancy Pelosi.

O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, disse que Trump precisa assinar e transformar em lei o projeto aprovado no Congresso, mas que os democratas estão dispostos a votar e a aumentar o valor dos pagamentos diretos a famílias.

“Passamos meses tentando garantir cheques de US$ 2 mil, mas os republicanos bloquearam”, disse ele. “Trump precisa assinar o projeto de lei para ajudar as pessoas e manter o governo aberto e estamos felizes em aprovar mais ajuda de que os norte-americanos precisam. Talvez Trump possa finalmente tornar-se útil e fazer com que os republicanos não o bloqueiem novamente”.

O governo vai ficar sem financiamento e ser paralisado na segunda-feira se Trump não assinar o projeto de lei. O líder do Partido Republicano no Senado, Mitch McConnell, não comentou a declaração de Trump. Muitos senadores republicanos se opuseram a cheques de valores mais altos durante as negociações.

O Congresso aprovou na segunda-feira à noite, de forma esmagadora, o novo pacote de estímulos, que inclui envios diretos de pagamentos no valor de US$ 600 para muitos norte-americanos, além de US$ 300 por semana em benefícios de desemprego temporários e ajuda a pequenas empresas, bem como fundos para a distribuição de vacinas contra covid-19, entre outras medidas.

Ontem à noite, Trump publicou um vídeo chamando o projeto de lei de “desgraça” e pedindo alterações ao Congresso. “Estou pedindo ao Congresso que emende este projeto de lei e aumente o valor ridiculamente baixo de US$ 600 para US$ 2 mil, ou US$ 4 mil por casal”, disse o presidente.

Ele também criticou o envio de dinheiro a países estrangeiros e outros itens não relacionados à pandemia do novo coronavírus. O valor destinado a ajuda externa faz parte da lei de gastos federais de US$ 1,4 trilhão para financiamento do governo até setembro de 2021, que também inclui os US$ 900 bilhões em alívio pela covid-19.