Líder do Estado Islâmico é morto em operação na Síria, diz Trump

117
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Foto: Divulgação/ Casa Branca

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – O líder do grupo terrorista Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, morreu em uma operação dos Estados Unidos na Síria na noite de sábado, de acordo com o presidente norte-americano, Donald Trump.

“Os Estados Unidos trouxeram à justiça o líder terrorista número um do
mundo. Abu Bakr al-Baghdadi está morto. Ele era o líder e fundador do Estado Islâmico, a mais impiedosa e violenta organização terrorista em qualquer lugar do mundo”, disse Trump, em pronunciamento ontem de manhã.

O presidente afirmou que o país o procurava há muitos anos, e que
capturá-lo e matá-lo era prioridade de sua administração. Trump deu detalhes da operação, dizendo que Baghdadi entrou em um túnel sem saída,
“choramingando, chorando e gritando”, perseguido por cães, e matou a si mesmo e três filhos, detonando um colete suicida.

“Ele era um homem doente e depravado”, disse Trump. “Ele morreu como um cachorro, ele morreu como um covarde”, acrescentou. “O bandido que se esforçou tanto para intimidar os outros passou seus últimos momentos com total medo, em total pânico e pavor, aterrorizado com as forças norte-americanas que o atacavam”.

A notícia vem após os Estados Unidos anunciarem, no início de outubro, a
retirada de suas tropas que combatiam o Estado Islâmico no nordeste da Síria. A medida abriu caminho para a Turquia invadir a Síria para atacar os combatentes curdos, que Ancara considera uma organização terroristas, e que eram aliados norte-americanos contra os jihadistas.

A Turquia e os Estados Unidos, aliados na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), concordaram com um cessar-fogo na Síria, o que levou Trump a suspender sanções econômicas à Ancara na quarta-feira passada.