Leilão da Aneel tem 11 lotes ofertados arrematados e disputa intensa

Foto: Alain Schroeder/União Europeia

São Paulo – O leilão de linhas de transmissão de energia da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) encerrou com todos os 11 lotes de empreendimentos ofertados arrematados em disputas acirradas, o que elevou descontos, chegando a deságio de até 70,35%.

Os 11 lotes contemplam a instalação de 1.959 quilômetros de linhas de transmissão em nove Estados (AM, BA, CE, ES, GO, MS, MG, RS e SP) e com investimentos previstos de R$ 7,34 bilhões. O prazo para operação comercial dos empreendimentos varia de 42 a 60 meses, para concessões por 30 anos, contados a partir da celebração dos contratos.

“O leilão foi extremamente exitoso, com deságio médio de 55,24% e uma média de 10 empresas ofertantes por lotes, o que caracteriza um leilão altamente competitivo”, disse o diretor da Aneel, André Pepitone da Nóbrega, a jornalistas após o fim do leilão.

Participaram do certame 37 empresas brasileiras, além de quatro empresas chinesas, duas espanholas, uma francesa, uma italiana e uma portuguesa, totalizando 51 empresas competidoras.

NOVATA

Uma das grandes vencedoras do leilão foi a empresa Mez Energia, que por meio do Consórcio Saint Nicholas, levou os lotes 3,4 e 5 (ofertados juntos), 8 e 9. A empresa assumiu um compromisso de investimentos de R$ 2,39 bilhões, equivalente a 33% do investimento total previsto nos lotes ofertados.

A Mez, que é novata no setor, foi criada no final do ano passado e veio do segmento de construção civil, com sócios originários do grupo Eztec.

Segundo a gerente jurídica do grupo Mez, Kelly Santos, a empresa tinha a intenção de levar sete de 11 lotes, mas acabou levando cinco lotes, sendo que o plano é seguir no segmento de transmissão de energia, mas ampliando a atuação para gerações e outros.

“Pretendemos ampliar o segmento de atuação, já temos compromisso com a Aneel para os próximos 30 anos. Temos saúde financeira e gestão eficiente de projetos, além de termos a Mez Construção, o que viabiliza nossa estrutura financeira”, disse.

LOTES

O lote 9 foi arrematado pelo Consórcio Saint Nicholas após lances de 18 empresas/consórcios. A proposta foi uma Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 5,235 milhões, com deságio de 60,22% em relação ao valor-teto de R$ 13,159 milhões. O lote 9 prevê investimentos de R$ 93,786 milhões em 6 km localizados no estado de Mato Grosso do Sul (MS) e com potência de 300 MVA, no prazo de 42 meses.

O lote 10 foi arrematado pelo Consórcio BRE 6, após disputa em viva-voz com Fundo de Investimentos e Participação Omnium (FIP Ominium) e lances de 13 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 15,1milhões, com deságio de 66,93% em relação ao valor-teto de R$ 45,654 milhões. O lote 10 prevê investimentos de R$ 315,999 milhões em 13 km de linhas, localizadas no estado do Ceará (CE) e com potência de 600 MVA, no prazo de 60 meses.

O lote 1 foi arrematado pela Agronegócio Alta Luz Brasil, após a participação de 19 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 21,381 milhões, com deságio de 61,80% em relação ao valor-teto de R$ 55,971 milhões. O lote 1 prevê investimentos de R$ 424,4 milhões em 200 km localizados no estado de Goiás (GO), no prazo de 48 meses.

O lote 2 foi arrematado pela Neoenergia após disputa em viva-voz com a State Grid e o Consórcio Saturno e lances de 13 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 159,693 milhões, com deságio de 42,60% em relação ao valor-teto de R$ 278,193 milhões. O lote 2 prevê investimentos de R$ 1,996 bilhão em 1.091 km localizados nos estados da Bahia (BA), Espírito Santo (ES) e Minas Gerais (MG), com potência de 300 MVA, no prazo de 60 meses.

O lote 3 foi arrematado pelo Consórcio Saint Nicholas I após disputa em viva-voz com a State Grid e o Consórcio Saturno e lances de 9 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 20,372 milhões, com deságio de 70,35% em relação ao valor-teto de R$ 68,710 milhões. O lote 3 prevê investimentos de R$ 490,313 milhões em 29 km localizados no estado de São Paulo (SP), no prazo de 54 meses.

Os lotes 4 e 5 foram arrematados pelo Consórcio Saint Nicholas I após lances de 12 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 52,981 milhões, com deságio de 57,35% em relação ao valor-teto de R$ 124,224 milhões.

O lote 4 prevê investimentos de R$ 640,740 milhões em 101 km localizados no estado do Rio Grande do Sul (RS) e com potência de 300 MVA, no prazo de 54 meses. O lote 5 prevê investimentos de R$ 261,272 milhões, localizado no estado do Rio Grande do Sul (RS) e com potência de 375 MVA, no prazo de 60 meses.

O lote 6 foi arrematado pela CEEE-GT após lances de 11 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 9,234 milhões, com deságio de 63,50% em relação ao valor-teto de R$ 25,299 milhões. O lote 6 prevê investimentos de R$ 191,95 milhões em 4 km localizados no estado do Rio Grande do Sul (RS), com potência de 495 MVA, no prazo de 42 meses.

O lote 7 foi arrematado pela CTEEP após disputa em viva-voz com o Fundo de Investimentos e Participações Ominium (FIP Ominium) e lances de 6 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 68,050 milhões, com deságio de 57,94% em relação ao valor-teto de R$ 161,775 milhões. O lote 7 prevê investimentos de R$ 1,14 bilhão em 63 km localizados no estado de São Paulo (SP), com potência de 800 MVA, no prazo de 60 meses.

O lote 8 foi arrematado pelo Consórcio Saint Nicholas II após disputa em viva-voz com a EDP-Energias do Brasil e lances de 9 empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 42,5 milhões, com deságio de 67,18% em relação ao valor-teto de R$ 129,486 milhões. O lote 8 prevê investimentos de R$ 908,353 milhões em 34 km localizados no estado do Mato Grosso do Sul (MS) e com potência de 1.200 MVA, no prazo de 60 meses.

O lote 11 foi arrematado pela Energisa após uma disputa acirrada em viva-voz com a CYMI Construções e Participações e lances de sete empresas/consórcios. A proposta aceita contém Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 63 milhões, com deságio de 47,37% em relação ao valor-teto de R$ 119,712 milhões. O lote 11 prevê investimentos de R$ 882,24 milhões, localizado no estado do Amazonas (AM), com 33,4 km novos e 385 km já existentes. A potência é de 700 MVA novos e 1.350 MV já existentes, no prazo de 60 meses.

Danielle Fonseca / Agência CMA