Lagarde diz que zona do euro voltará a nível pré-covid-19 no final de 2022

142
A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde / Foto: BCE/Adrian Petty

São Paulo – A recuperação da economia da zona do euro da pandemia do novo coronavírus tem sido desigual e incompleta, e o crescimento econômico da região voltará aos níveis pré-covid-19 apenas no final de 2022, disse a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde.

“O que passamos no primeiro e segundo trimestre é sem precedentes”, disse ela, ao participar de videoconferência em comemoração dos 50 anos do Plano Werner, que estabeleceu as bases para o projeto da União Econômica e Monetária (UEM).

Segundo Lagarde, a crise da pandemia gerou um “choque profundo e massivo”, com queda de quase 12% no Produto Interno Bruto (PIB) da eurozona no segundo trimestre deste ano, depois de uma baixa de 3,7% no primeiro trimestre.

Ela destacou que ações fiscais são bem-vindas. “Apesar disso, esta recuperação é desigual, incompleta e incerta”, disse. “Apenas no final de 2022 voltaremos aos níveis pré-covid-19”.

A presidente do BCE destacou que a propensão à poupança na zona do euro está em níveis altos sem precedentes, e que a recuperação é assimétrica entre setores da economia. “O setor industrial está se recuperando, o de serviços ainda está em contração”.

Lagarde afirmou que é preciso focar nas áreas que precisam de mais atenção, e que a transformação verde e digital da economia da eurozona terá um papel essencial. “A recuperação produzirá mudanças estruturais”, disse.

Por fim, Lagarde disse que o combate à mudança climática será um dos temas centrais da revisão estratégica do BCE, que foi retomada após uma pausa devido à pandemia do novo coronavírus.

“Como a mudança climática afeta a política monetária e variáveis importantes da política monetária?”, questionou ela, citando a produção, inflação e consumo. O BCE também vai discutir efeitos nos canais de transmissão e como lidar com os riscos, concluiu.