Lagarde diz que clima fará parte das escolhas financeiras a partir de agora

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde / Foto: BCE

São Paulo – A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, alertou para a falta de informações sobre o clima e seu impacto sobre as decisões financeiras, afirmando que questões ligadas ao meio ambiente estarão cada vez mais presentes nas escolhas de investimento das empresas.

“As informações que temos disponíveis hoje sobre o clima são insuficientes. O setor financeiro irá cada vez mais olhar para as questões climáticas na hora de tomar uma decisão e sabemos que qualquer decisão é baseada em informações”, disse ela durante evento virtual sobre o clima organizado por Michael Bloomberg.

Lagarde citou como exemplo a questão do preço do carbono no mercado internacional, que hoje é de US$ 2 por tonelada e que, segundo compromissos do acordo de Paris, precisa chegar a US$ 75 por tonelada para surtir efeitos sobre as emissões.

Ao reforçar a necessidade de uma ação coletiva para combater as mudanças climáticas, Lagarde disse que o BCE está fazendo a sua parte ao incluir o clima em seu processo de revisão estratégica. “O clima está no nosso processo de revisão”, afirmou.

Atualmente, o BCE tem como meta uma inflação próxima, porém abaixo de 2% ao ano. Segundo Lagarde, as variáveis consideradas para o estabelecimento dessa meta mudaram desde 2003 e precisam passar por ajustes para transmitir a realidade econômica.

O processo de revisão estratégica do BCE começou em janeiro do ano passado e está baseado na formulação quantitativa da estabilidade de preços, nos instrumentos de política monetária, nas análises econômica e monetária e nas práticas de comunicação.

Outras considerações, como a estabilidade financeira, o emprego e a sustentabilidade ambiental, também estão contemplados no reexame, cuja previsão era de estar concluído até ao final de 2020, mas foi adiado por conta da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.