Lagarde alerta que mudanças climáticas já impactam estabilidade de preços

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde / Foto: BCE

São Paulo – As mudanças climáticas já estão impactando a estabilidade de preços na zona do euro, e contribuirão na determinação da política monetária, disse a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde.

“É bastante óbvio, as alterações climáticas terão – já tem – um impacto na estabilidade de preços, quer olhe para eventos relacionados com o clima, quer olhe para áreas particularmente expostas, os preços serão determinados como resultado disso”, disse Lagarde, ao participar de forma virtual em um evento.

Segundo ela, estas questões fazem parte da revisão estratégia que o BCE está realizando, e que planeja encerrar na segunda metade deste ano. “O espaço de política monetária disponível também será determinado em parte, não exclusivamente, mas em parte pelas mudanças climáticas”, disse.

Com relação aos instrumentos, “embora as compras de ativos corporativos representem apenas uma parte muito pequena do portfólio geral de nossos instrumentos de política monetária, é uma parte significativa e onde devemos nos perguntar: estamos precificando os riscos de maneira adequada, estamos aplicando os cortes certos como resultado, estamos analisando divulgações que ocorrerão em breve, estamos avaliando o caminho de transição e as necessidades de financiamento que haverá, então acho que isso terá um impacto nos instrumentos que usaremos no futuro e no volume de cada um desses
instrumentos também”, disse ela.

Lagarde afirmou que os bancos centrais não conduzem o ônibus do combate a mudanças climáticas, e sim os governos, por meio de impostos, e preços de emissões de carbono, mas os BCs são passageiros. Assim, o BCE espera realizar próximo ano um teste de estresse considerando mais riscos, além de aumentar suas compras de títulos verdes.

Com relação ao uso do euro digital, ela disse que ele pode ser mais barato, mais rápido e eficiente, mas há questões técnicas, de princípios, de soberania e política monetária que precisam ser consideradas. Lagarde disse que a população europeia mostrou-se interessada, em especial após a pandemia, mas esta decisão deve que envolver legisladores, por questões de privacidade e estruturas dos setores financeiros.

Por fim, com relação ao papel internacional do euro, Lagarde disse que ele não diminui na crise da pandemia, como correu na crise de 2008, e defendeu a integração verde de mercado de capitais, retomando um discurso realizado ontem, para fortaleceu ainda mais o euro no cenário global.