Kaplan, do Fed, defende mais gastos para apoiar recuperação econômica

124
Edifício do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) / Foto: Fed

São Paulo — O presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Dallas, Robert Kaplan, defendeu mais gastos em várias frentes como forma de apoiar a recuperação da economia dos Estados Unidos em meio à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

“É fundamental que tenhamos dinheiro para fazer vacinas e testes. É fundamental que as pessoas que estão sem trabalho continuem com o alívio depois de março”, disse ele em entrevista para a rede CNBC.

A declaração acontece em meio a uma negociação entre o governo de Joe Biden e a oposição republicana em torno do tamanho de um novo pacote de ajuda. A Casa Branca apresentou um plano amplo, de US$ 1,9 trilhão, enquanto um grupo de senadores divulgou uma proposta bem mais modesta, de US$ 618 bilhões.

Kaplan – que este ano não tem direito a voto – não endossou nenhuma das propostas, mas disse que ajuda fiscal adicional é necessária para uma série de prioridades ainda urgentes.

“É fundamental que tenhamos dinheiro suficiente para reabrir escolas, e um dos grandes problemas desta pandemia é que as mulheres com filhos abandonaram desproporcionalmente a força de trabalho. Portanto, fazer com que as escolas sejam reabertas, ter dinheiro para isso e para cuidar das crianças é fundamental para trazer esse grupo de volta ao mercado de trabalho. Precisamos disso se quisermos crescer mais rápido”, acrescentou.