Johnson & Johnson interrompe testes de vacina contra novo coronavírus

164
Foto: Johnson & Johnson

São Paulo – A Johnson & Johnson anunciou a interrupção temporária de testes de uma vacina contra o novo coronavírus após um participante adoecer sem explicação. Os testes estavam sendo realizados em vários países, como Brasil e Estados Unidos.

“Interrompemos temporariamente a dosagem adicional em todos os nossos ensaios clínicos de vacinas contra cOVID-19, incluindo o ensaio de fase 3, devido a uma doença inexplicada em um participante do estudo”, segundo a empresa, em comunicado divulgado ontem.

“Seguindo nossas diretrizes, a doença do participante está sendo analisada e avaliada pelo Conselho de Monitoramento de Segurança de Dados independente, bem como por nossos médicos clínicos e de segurança internos”, de acordo com a nota.

A empresa afirmou que eventos adversos, como doenças e acidentes, são uma parte esperada de qualquer estudo clínico, especialmente grandes estudos, e que possui diretrizes pré-especificadas para lidar com tais eventos.

“Isso garante que nossos estudos possam ser pausados se um evento adverso sério inesperado (SAE) que pode estar relacionado a uma vacina ou medicamento do estudo for relatado, para que haja uma revisão cuidadosa de todas as informações médicas antes de decidir se o estudo deve ser reiniciado”.

A candidata à vacina da Johnson & Johnson está na fase final de testes. Em agosto, a Anvisa aprovou que os testes sejam conduzidos no Brasil. Os estudos analisam os efeitos da vacina comparadas a um placebo num grupo de até 60 mil voluntários, sendo 7 mil deles no Brasil.

Além da Johnson & Johnson, no mês passado, a AstraZeneca suspendeu os ensaios clínicos de uma vacina experimental contra a covid-19 após um participante no Reino Unido apresentar uma doença inexplicável. Os testes já foram retomados.