Johnson diz que britânicos e UE aguardam formalização do acordo pós-Brexit

132
Arte: Adriana Fornereto

São Paulo – O Reino Unido e a União Europeia (UE) aguardam a ratificação formal do acordo comercial pós-Brexit e o trabalho conjunto em questões de interesse comum, disse o primeiro-ministro  britânico, Boris Johnson, após uma conversa com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

“Acabei de falar com o presidente Charles Michel. Congratulei-me com a importância do Acordo entre Reino Unido e UE como um novo ponto de partida para o nosso relacionamento, entre iguais soberanos. Esperamos a ratificação formal do acordo e trabalharmos juntos em prioridades compartilhadas, como lidar com a mudança climática “, disse Johnson em seu Twitter.

Na quinta-feira passada, o Reino Unido e a União Europeia fecharam um acordo comercial pós-Brexit que ainda precisa da aprovação do Conselho Europeu, do Parlamento Europeu e dos legisladores do Reino Unido.

O Reino Unido deixou oficialmente a UE em janeiro deste ano e uma fase de transição foi aberta até o próximo dia 31. Na quinta-feira, uma semana antes do fim do período de transição, o Reino Unido e a UE finalmente chegaram a um acordo sobre seu novo relacionamento.

APLICAÇÃO PROVISÓRIA

Os embaixadores da União Europeia aprovaram a aplicação provisória do acordo comercial pós-Brexit com o Reino Unido de 1 de janeiro de 2021, informou o porta-voz do Comitê de Representantes Permanentes dos Governos dos Estados-Membros da UE, Sebastian Fischer.

“Luz verde para o acordo Brexit: os embaixadores da UE aprovaram por unanimidade a aplicação provisória do acordo de comércio e cooperação UE-Reino Unido de  de janeiro de 2021”, disse ele no Twitter.

FUNDO DA UE

A Comissão Europeia propôs na sexta-feira a criação de um fundo de US$ 6,1 bilhões para mitigar os efeitos adversos da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) nos países e comunidades mais ligados à economia britânica.

A Reserva de Ajustamento ao Brexit garantirá o funcionamento adequado dos controles de fronteira e apoiará o emprego e os serviços essenciais nos setores afetados, incluindo a indústria pesqueira. A iniciativa precisa da aprovação dos 27 membros e do Parlamento Europeu.

“Projetamos esta reserva para fornecer ajuda rápida e descomplicada, com foco nos membros da UE mais afetados pelo Brexit”, disse o comissário para a administração, Johannes Hahn.