Joaquim Silva e Luna é aprovado para conselho da Petrobras

Foto divulgação: Petrobras

São Paulo – A Petrobras aprovou, em assembleia geral extraordinária (AGE) realizada ontem, a eleição de Joaquim Silva e Luna para o conselho de administração da estatal. Com a aprovação, agora o general também pode ser eleito como novo presidente da companhia.

Luna foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro após Roberto Castello Branco sofrer com diversas críticas devido aos seguidos aumentos de preços nos combustíveis anunciados pela estatal neste ano.

A AGE ainda aprovou ontem a destituição de Roberto Castello Branco do
cargo de membro do conselho de administração. Ele também deixou a presidência da empresa. Para o seu lugar, o diretor executivo de exploração e produção, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, assume como de forma interina até a eleição que definirá o nome de Joaquim Silva e Luna.

Eduardo Bacellar Leal Ferreira foi eleito para o cargo de presidente do conselho de administração da Petrobras.

Além de Luna, também foram eleitos para o conselho de administração: Cynthia Santana Silveira, Eduardo Bacellar Leal Ferreira Marcelo Gasparino da Silva, Murilo Marroquim de Souza, Ruy Flaks Schneider e Sonia Julia Sulzbeck Villalobos.

Márcio Andrade Weber, que ontem não teve a indicação aprovada pelo Comitê Pessoas por ter sido diretor da Petroserv, empresa fornecedora e operadora de sondas da Petrobras até agosto de 2020, também foi eleito.

CONTESTAÇÃO DOS RESULTADOS

Antes da AGE, um dos candidatos ao conselho da estatal, Marcelo Gasparino da Silva solicitou a suspensão da reunião e disse que iria renunciar caso fosse eleito, pois, na sua avaliação, o resultado da eleição pode ser contestado devido a problemas como distorções no processo de recebimento e compilação dos votos após a publicação do mapa sintético consolidado do voto à distância.

“Como não há formas de corrigir eventuais problemas que possam ter resultado na materialização do desejo dos acionistas minoritários explico as razões [em documento publicado em seu perfil no LinkedIn], caso eleito pelo processo de voto múltiplo que já está instalado, tomarei posse e renunciarei para que uma nova assembleia seja convocada e que os votos depositados através do Boletim de Voto à Distância – #BVD cheguem corretamente para a Petrobras”, disse.