Itaú BBA recomenda compra de ações da JBS após queda recente

391

Por Danielle Fonseca

São Paulo – O Itaú BBA recomendou a compra dos papéis da JBS após a recente queda das ações em função do noticiário, além de ver um ponto técnico de entrada favorável e um momento positivo para o setor.

Foto: Divulgação/JBS

Os analista do banco lembram que, na semana passada, a notícia de que um
grupo de senadores americanos fez uma requisição formal ao Comitê de
Investimentos nos EUA (CFIUS, na sigla em inglês) para investigar as
aquisições de empresas americanas feitas pela JBS, fez os papéis da companhia caírem cerca de 6%.

No entanto, apesar de a notícia indicar um risco elevado, há baixa
probabilidade de acontecer. “No passado, a CFIUS bloqueou apenas 5
aquisições e nunca uma reversão de aquisição feita há mais de 12 anos
atrás”, afirmaram, em relatório.

Além disso, com a queda de hoje, as ações se aproximaram do suporte em R$ 27,95, região considerada importante pelos analistas, o que faz com que recomendem compra até os R$ 20,05.

Às 16h35 (horário de Brasília), as ações da JBS (JBSS3) caíam 1,63%, a R$ 28,91, entre as maiores quedas do Ibovespa hoje. Atualmente, o banco possui a recomendação “outperform” para os papéis, com preço justo de R$ 35,00 por ação para o final de 2020.

O banco ainda avalia que o setor de proteínas como um todo deve continuar apresentando um “momentum positivo no curto e médio prazo”, uma vez que que a demanda de China e preços de proteínas continuem em patamares elevados, como efeitos da gripe suína na Ásia.

A recente destruição da planta da empresa Tyson no Kansas (EUA) também
pode levar a um aumento nos preços das carnes, tendo em vista que a planta é responsável por cerca de 6% da capacidade total de abate dos Estados Unidos.

“Acreditamos que a empresa pode apresentar fortes resultados operacionais
à frente e uma melhora no capital de giro deve provavelmente ajudar a reduzir a alavancagem (projetamos uma relação dívida líquida/ ebitda de 2,4 vezes até o final de 2019)”, disseram.