Itália bloqueia de entrega de vacinas para Austrália; França apoia

Foto: AstraZeneca

São Paulo – A França apoiou o bloqueio italiano de um embarque de vacinas contra covid-19 da Oxford em conjunto com a AstraZeneca para a Austrália, enquanto o governo australiano pede que a União Europeia revise a medida e permita a entrega de doses para o país.

“Nós poderíamos fazer o mesmo”, disse o ministro da saúde francês, Olivier Véran, em uma entrevista à televisão francesa, em resposta a uma pergunta sobre a suspensão da entrega de 250 mil doses da vacina destinadas à Austrália por Roma.

A ação da Itália é a primeira intervenção desde que a União Europeia (UE) introduziu regras para a exportação de vacinas para fora do bloco, depois que as empresas farmacêuticas começaram a atrasar as entregas de doses prometidas para os estados membros.

Roma disse que tomou a decisão de reter a remessa porque a Austrália não é considerado um “país vulnerável”.

Canberra pediu à Comissão Europeia que reveja a decisão da Itália, ao mesmo tempo que expressou simpatia pela situação da União Europeia.

“Na Itália, as pessoas morrem a uma taxa de 300 por dia”, disse o primeiro-ministro Scott Morrison. “Portanto, posso certamente compreender o alto nível de ansiedade que existiria na Itália e em muitos países da Europa, como é regularmente comunicado a mim. Eles têm algumas dificuldades reais e essa não é a situação na Austrália ”

Greg Hunt, ministro da saúde da Austrália, disse que Canberra “levantou a questão com a Comissão Europeia por meio de vários canais”.

A Austrália administrou a pandemia melhor do que a maioria dos países desenvolvidos e tem poucas infecções por covid-19, quase todas em quarentena de hotel. O país começou a vacinar pessoas vulneráveis BioNTech e Pfizer e administrou hoje sua primeira inoculação com a vacina da Oxford e AstraZeneca.