IPCA sobe 0,36% em julho ante junho, em linha com expectativa

176
Foto: Afonso Lima / freeimages.com

São Paulo – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, subiu pelo segundo mês seguido em julho, em 0,36% em relação a junho, intensificando o ritmo de alta, após avançar 0,26% no período anterior. Trata-se do maior resultado para um mês de julho desde 2016 (+0,52%). A alta do mês passado ficou praticamente em linha com a previsão, de 0,35%, conforme a mediana projetada pelo Termômetro CMA.

Com isso, o IPCA acumula altas de 0,46% no ano até o mês passado e de +2,31% no período de 12 meses encerrados em julho – resultado que também ficou em linha com a mediana projetada, de +2,31%, ainda conforme o Termômetro CMA, mas que seguiu abaixo do piso do intervalo de tolerância perseguido pelo Banco Central neste ano, de 2,50%, pelo quarto mês consecutivo. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na passagem de junho para julho, seis dos nove grupos pesquisados apresentaram alta, sendo que o maior impacto veio do grupo Transportes (+0,78%), representando 0,15 ponto percentual no resultado geral do IPCA no período. Em seguida, aparece o grupo Habitação (+0,80% e +0,13 pp). Na outra ponta, destaque para Vestuário (-0,52% e -0,02 pp), que caiu pelo terceiro mês seguido.

Nessas classes de despesa, destaque para o comportamento dos itens gasolina (+3,42%), representando o maior impacto sobre o índice geral (+0,16 pp); energia elétrica (+2,59% e +0,11 pp) e carnes (+3,68% e +0,09 pp). Já do lado das baixas, os destaques foram transporte por aplicativo (-8,17% e -0,01 pp); passagem aérea (-4,21% e -0,01 pp) e tomate (-16,78% e -0,06 pp).

Em termos regionais, todas as 16 áreas pesquisadas apresentaram variação positiva em julho. O menor índice ficou com a região metropolitana de Vitória (+0,21%), dada a queda nos preços da batata-inglesa e do tomate. Já a maior variação ficou com a área do município de Rio Branco (+0,75%), por causa da alta nos preços da gasolina. Em São Paulo, o IPCA passou de +0,29% em junho para +0,24% em julho.