Inglaterra libera entrada de norte-americanos e europeus vacinados

Foto: Anna Shvets / Pexels

São Paulo – O governo britânico permitirá a entrada de cidadãos dos Estados Unidos e da maior parte da União Europeia (UE) na Inglaterra sem requisitos de quarentena a partir de segunda-feira. Para isso, esses viajantes devem comprovar que foram totalmente vacinados contra a covid-19.

Inicialmente, as regras não à Escócia, País de Gales ou Irlanda do Norte, mas sem restrições de viagens entre essas regiões, o governo está efetivamente abrindo todo o Reino Unido aos norte-americanos e europeus, desde que cheguem pela Inglaterra.

Essa permissão de entrada, no entanto, não se aplica à França, cujos visitantes deverão cumprir quarentena, devido ao elevado número de casos de covid-19. O país tem mais de 6 milhões de contaminados – o maior número entre aos países europeus – e as mortes ligadas à doença se aproximam de 112 mil, de acordo com a Johns Hopkins.

Embora estejam livres da quarentena, os norte-americanos e europeus ainda precisarão fazer um teste antes da partida para a Inglaterra, junto com um teste PCR antes ou no segundo dia após a chegada, de acordo com as regras do governo.

“Ao reabrir viagens sem quarentena para viajantes que foram totalmente vacinados em países europeus e nos Estados Unidos, estamos dando mais um passo na estrada para a normalidade que reunirá amigos e familiares e dará um impulso às empresas do Reino Unido”, disse o secretário de Saúde do Reino Unido, Sajid Javid.

O governo norte-americano, no entanto, não deve agir em reciprocidade. No início da semana, a Casa Branca informou que manteria em vigor as restrições que impedem que viajantes vindos de lugares como Reino Unido e UE entrem nos Estados Unidos por causa do aumento de casos da variante Delta.

O Canadá anunciou a liberação da entrada de cidadãos e residentes norte-americanos a partir de 9 de agosto. Na ocasião, a Casa Branca disse que agiria baseada na ciência e não em reciprocidade na questão de abertura de fronteiras.