Inflação ao produtor acelera a 0,91% em novembro

225

São Paulo – O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a evolução dos preços de produtos “na porta de fábrica” – sem impostos nem fretes – ganhou força e subiu 0,91% em novembro, ante alta de 0,60% em outubro, informou o IBGE. Em novembro de 2018, o IPP havia caído 1,62%. Com o resultado, o IPP acumula altas de 4,55% em 2019 e de 2,92% em 12 meses, até novembro.

Segundo o IBGE, 15 das 24 atividades industriais pesquisadas apresentaram variações positivas de preços, repetindo o verificado no mês anterior. Entre as atividades, as quatro maiores variações foram registradas em indústrias extrativas (+4,86%); alimentos (+3,48%); outros equipamentos de transporte (+1,77%) e perfumaria, sabões e produto de limpeza (-1,88%).

Em termos de influência no resultado geral do IPP, em ponto percentual (pp), destaque para alimentos (+0,79 pp); indústrias extrativas (+0,22 pp); metalurgia (-0,08pp) e outros produtos químicos (-0,07 pp).

Já em relação às grandes categorias econômicas, bens de capital subiram 0,38% em novembro ante outubro, com influência positiva de 0,03 pp no resultado geral; bens intermediários avançaram 0,34% (+0,18 pp); e bens de consumo tiveram alta de 1,82% (+0,70 pp), sendo +0,45% para bens de consumo duráveis (0,03 pp) e +2,11% para bens de consumo semiduráveis e não duráveis (+0,67 pp).