Inflação a mais pobres desacelerou em janeiro, diz Ipea

166

São Paulo, 12 de fevereiro de 2021 – A inflação teve forte desaceleração em janeiro para todos os segmentos de renda – mas em particular para as famílias mais pobres -, pressionada pela queda nos preços da energia elétrica, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O Instituto afirmou que, entre as famílias com renda inferior a R$ 1.650,50 por mês, classificadas como possuindo renda muito baixa, a inflação diminuiu de 1,58% em dezembro para 0,21% em janeiro. Na comparação com janeiro do ano passado, quando a inflação para este grupo foi de 0,23%, também houve desaceleração.

Os demais segmentos de renda também tiveram desaceleração da inflação em janeiro ante dezembro – mas em menor grau que o observado entre as famílias mais pobres. Na comparação com janeiro do ano passado, a inflação acelerou em todos os segmentos, exceto no das famílias mais pobres e entre as famílias de renda média-alta – que recebem de R$ 8.254,83 a R$ 16.509,66 por mês.

“A análise desagregada entre os componentes da inflação mostra que, embora em janeiro ainda tenha se verificado uma pressão dos alimentos no domicílio – grupo de grande peso na cesta de consumo das famílias mais pobres -, esse impacto não só foi menor que o observado no mês anterior como também foi, em parte, compensado pela queda nos preços da energia elétrica e dos itens de vestuário”, disse o Ipea em comunicado.

“Em janeiro, na comparação com dezembro, verifica-se uma desaceleração em onze dos dezesseis subgrupos que compõem o segmento alimentação no domicílio, com destaque especial para arroz (recuo de 3,84% para 0,24%), carnes (3,58% para -0,08%), frango (2,75% para -0,07%), leite (157% para -1,35%) e óleo de soja (4,99% para -1,08%). Entretanto, a deflação de 5,60% das tarifas de energia elétrica se constituiu no principal foco de alívio inflacionário para o segmento de renda mais baixa, cuja contribuição negativa sobre o grupo habitação anulou as altas do aluguel (0,55%) e do gás de botijão (3,19%)”, acrescentou.