Índice de preços ao consumidor sobe 1,46% em dezembro, maior alta mensal desde dez/2002

135

São Paulo – O Indice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 1,46% em dezembro, no maior resultado para o mês desde 2016 (+1,51%) e na maior variação mensal desde dezembro de 2002, acelerando-se ante a alta de 0,95% apurada em novembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, o INPC fechou 2020 com alta de 5,45%.

Em base mensal, os preços dos produtos alimentícios tiveram alta de 1,86% em dezembro, desacelerando-se da alta de 2,65% em novembro, enquanto os preços de itens não-alimentícios subiram 1,33% no mês passado, acelerando-se em relação à alta observada no mês anterior, de 0,42%.

Entre os índices regionais, todas as áreas pesquisadas tiveram alta, sendo que a maior variação foi registrada no município de são Luís (+2,09%), em função da alta no preço das carnes, enquanto o menor índice ficou com Aracaju (+0,89%), influenciado pela queda nos preços de aparelho telefônico e do pão francês. Em São Paulo, o INPC passou de +1,21% em novembro para +1,20% em dezembro.

O INPC refere-se às famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos e abrange dez regiões metropolitanas.