Ibovespa fecha em queda pela 4ª sessão seguida

Mercado Gráfico Percentual
Foto: Svilen Milev / freeimages.com

São Paulo – O Ibovespa até recuperou-se de parte das perdas na reta final do pregão de hoje, mas fechou em queda pela quarta sessão consecutiva diante da retomada da aversão ao risco nos mercados financeiros internacionais por causa do avanço desenfreado da pandemia pela maior parte do Ocidente. O índice encerrou em queda de 0,80%, aos 117.380,49 pontos. No acumulado da semana, a bolsa recuou 2,47%. Trata-se de segunda semana seguida de queda acumulada no Ibovespa.

Sem terem conseguido aproveitar o rali da “onda azul” da posse do novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, especialmente por causa da cautela dos investidores com o cenário local, diversos componentes do índice passaram por ajustes hoje por causa do feriado local em São Paulo que na segunda-feira manterá a B3 fechada.

Enquanto isso, o dólar comercial fechou em forte alta de 2,12% no mercado à vista, cotado a R$ 5,4770 para venda, em sessão de aversão ao risco no exterior em meio à escalada da segunda onda de covid-19 na Europa e na Ásia, elevando as incertezas em relação à recuperação econômica global. Aqui, as preocupações fiscais levaram investidores à proteção, às vésperas de um feriado em São Paulo, o que fechará a bolsa brasileira. Na semana marcada pela posse do novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e pela reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, no qual retirou o foward guidance (orientação futura) sobre a manutenção da taxa Selic, a moeda avançou 3,32%.

O diretor superintendente de câmbio da Correparti, Jefferson Rugik, destaca que a moeda acompanhou o exterior, operando majoritariamente em alta ao longo da sessão, com a aversão ao risco que prevaleceu no exterior diante da alta dos casos de covid-19 no mundo.

Já as taxas dos contratos de juros futuros (DIs) encerraram a sessão alta ao longo de toda a estrutura a termo, com colocação de prêmios mais intensa no vértice mais longo, em meio a piora da percepção de risco no país, por causa da situação ainda delicada da pandemia. O movimento foi pressionado pela disparada do dólar, que sobe mais de 2% e se aproxima da faixa de R$ 5,50. Também houve influência do ambiente externo mais avesso, com o feriado na próxima segunda-feira elevando a postura defensiva.

O Dow Jones e o S&P 500 deram uma pausa nos fortes ganhos obtidos durante a semana – e que vem marcando todo o mês de janeiro – para terminaram em queda, sem um catalisador claro para as perdas do dia, embora a pandemia do novo coronavírus se mantenha como fonte de preocupação. Na contramão, o Nasdaq renovou recorde no fechamento, antecipando uma sólida temporada de balanços do setor de tecnologia na próxima semana.

Confira abaixo a variação e a pontuação dos principais índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: -0,57%, 30.996,98 pontos
Nasdaq Composto: +0,09%, 13.543,10 pontos
S&P 500: -0,30%, 3.841,47 pontos