Ibovespa fecha em queda com risco político e temor fiscal

967

São Paulo – O Ibovespa andou na contramão das principais bolsas de valores internacionais pelo segundo dia seguido e fechou em queda de 0,82%, aos 119.646,40 pontos, diante da cautela dos investidores com relação a questões locais. Depois de abrir em alta, o Ibovespa perdeu fôlego, apagou os ganhos iniciais e passou a cair no fim da manhã, permanecendo assim até o término do pregão.

“Preocupa muito o cenário de atraso na vacinação”, observou Stefany Oliveira, analista da Toro Investimentos. Antes da abertura do pregão, a equipe da Mirae Asset já advertia que “o Ibovespa deve operar hoje novamente influenciado por ruídos na política e temor do risco fiscal”.

O dólar comercial fechou em queda de 0,65% no mercado à vista, cotado a R$ 5,3100 para venda, em sessão de otimismo externo em meio à posse do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, com investidores na expectativa por novos estímulos fiscais à economia norte-americana. Com isso, a moeda interrompeu uma sequência de três altas seguidas, com o mercado doméstico à espera do comunicado do Banco Central (BC) com a decisão de política monetária do Comitê de Política Monetária (Copom).

O analista de câmbio da Correparti, Ricardo Gomes Filho, reforça o otimismo dos investidores em relação ao novo presidente norte-americano que deu um “tom notadamente positivo” aos negócios ao longo da sessão.

Já os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em alta, renovando recordes, embalados pela expectativa de novos estímulos com a posse de Joe Biden e também por resultados corporativos mais fortes.

Confira abaixo a variação e a pontuação dos principais índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: +0,83%, 31.188,38 pontos
Nasdaq Composto: +1,97%, 13.457,20 pontos
S&P 500: +1,39%, 3.851,85 pontos