Ibovespa fecha em forte queda com incertezas, realização e pandemia

608

O Ibovespa fechou em queda firme diante da aversão ao risco provocada por incertezas políticas locais e no exterior. O avanço desenfreado da pandemia também pesou. Além disso, depois de na semana passada ter estabelecido novos recordes de fechamento, a bolsa passou ainda por alguma realização de lucros até fechar em queda de 1,45%, aos 123.255,13 pontos.

As ações de operadores de shopping centers figuram entre as maiores quedas do dia diante do avanço da pandemia, especialmente no Amazonas e em Minas Gerais. O setor bancário também foi penalizado.

Na contramão da maior parte dos demais componentes do Ibovespa, as ações da NotreDame Intermédica e da Hapvida mantiveram o rali deflagrado na sexta-feira pela notícia de que as duas empresas negociam uma fusão.

O dólar comercial fechou em forte alta de 1,60% no mercado à vista, cotado a R$ 5,3030 para venda, no maior valor de fechamento desde 5 de novembro do ano passado – quando encerrou a R$ 5,5460 – engatando a quarta alta seguida, acompanhando o exterior onde prevaleceu a busca por proteção em sessão de realização de lucros e receio com o avanço da covid-19 no mundo e com isso, novas medidas de restrição social nas principais economias globais.

O gerente da mesa de câmbio da Correparti, Guilherme Esquelbek, reforça que investidores elevaram as preocupações com o crescimento de novos casos do novo coronavírus pelo mundo. “Com isso, receosos com uma possível antecipação do ciclo de aperto monetário pelo Fed [Federal Reserve, o banco central norte-americano]”, avalia.

Amanhã, o destaque da agenda de indicadores é o resultado da inflação doméstica em dezembro do ano passado. Para a analista da Toro Investimentos, Stefany Oliveira, o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês passado deve absorver o ajuste nos preços de energia elétrica, além das altas nos itens de educação.

Os principais índices do mercado norte-americano terminaram a primeira sessão da semana em baixa, com os investidores pesando, de um lado, as chances de uma ajuda fiscal mais ampla e, de outro, as turbulências políticas em Washington. Além disso, a queda das ações de gigantes da tecnologia veio na esteira da percepção de regulações mais rígidas para o setor sob a gestão de Joe Biden.

Confira abaixo a variação e a pontuação dos principais índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: -0,29%, 31.008,69 pontos
Nasdaq Composto: -1,25%, 13.036,00 pontos
S&P 500: -0,65%, 3.799,61 pontos