Hospitalizações por covid-19 superam 100 mil nos EUA; mortes batem recorde

189
Foto: Casa Branca

São Paulo, 3 de dezembro de 2020 – O número hospitalizações devido à covid-19 nos Estados Unidos alcançou um novo recorde e ultrapassou a marca de 100 mil pela primeira vez, enquanto as mortes pela doença avançaram em 3 mil em um dia, maior alta já registrada, e os casos subiram em mais de 200 mil.

As hospitalizações pelo novo coronavírus alcançaram o recorde de 100.226, de acordo com dados do Projeto Rastreamento Covid – um esforço colaborativo executado por voluntários para rastrear a pandemia em andamento nos Estados Unidos.

O país tem registrado um novo máximo de hospitalizações a cada dia desde que o número superou 60 mil pela primeira vez em 10 de novembro. Antes disso, recorde de pessoas hospitalizadas havia sido em 15 de abril, com 59.924, segundo informações do projeto.

Os dados mostram ainda que há 19.396 paciente atualmente internados em unidades de terapia intensiva (UTIs) e 6.855 pessoas em respiradores.

O país registrou nas últimas 24 horas 200.070 novos casos de covid-19, depois de ter reportado 180.098 infecções no dia anterior, segundo dados compilados pela Universidade Johns Hopkins. O recorde de 205.557 foi alcançado no dia 27 de novembro.

No total, os Estados Unidos – país que possui o maior número de infecções e de mortes no mundo – têm 13.925.354 pessoas contaminas pelo novo coronavírus e 273.847 óbitos ligados à doença, alta recorde de 3.157 em 24 horas, depois dos 2.597 reportados um dia antes.

O Texas é o estado com o mais número de casos nos Estados Unidos, e reportou 1.268.946 contaminações até o momento, seguido pela Califórnia, com 1.268.765. O terceiro estado com mais infecções no país é a Flórida, com 1.018.160.

Ontem, o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), Robert Redfield, alertou que a pandemia de covid-19 deve causar uma grande crise sanitária nos próximos meses de inverno, pouco antes das vacinas se tornarem amplamente disponíveis.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, alertou que o mais importante é garantir que a população norte-americana tenha acesso a imunização, e renovou seus apelos para que as pessoas não viagem nos feriados de Natal e Ano Novo.