Harker, do Fed, diz que recuperação de EUA depende de vacina e auxílio fiscal

132
O presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) da Filadélfia, Patrick Harker / Foto: Fed Filadélfia

São Paulo, 2 de dezembro de 2020 – A recuperação da economia dos Estados Unidos depende da vacinação contra o novo coronavírus e de estímulos fiscais, disse o presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) da Filadélfia, Patrick Harker.

“Por enquanto, estou prevendo um crescimento moderado para o resto deste ano e o primeiro trimestre de 2021 que nos mantém abaixo da tendência pré-pandêmica”, disse Harker, em texto preparado para discurso em um evento virtual. “Minha previsão aponta para uma aceleração do crescimento na segunda metade de 2021 e até 2022, antes de uma leve redução em 2023”.

Ele alertou, porém, que as perspectivas são incertezas. “Isso vem com duas advertências importantes. Por um lado, minha previsão é baseada em uma vacina segura e eficaz contra covid-19 – ou talvez, vacinas múltiplas – tornando-se disponível em algum momento da primavera ou verão do próximo ano. Recebemos notícias muito encorajadoras sobre isso nas últimas semanas”.

Além disso, “a previsão também prevê um adicional de US$ 1 trilhão de apoio fiscal para a economia. Lá, as notícias têm sido menos animadoras recentemente, o que é minha maneira de dizer que essa previsão é muito, muito incerta”.

Harker disse que as medidas adotadas pelo Fed para lidar com a crise, como cortes de juros rapidamente e cedo e o estabelecimento de uma série de linhas de crédito, “foram eficazes para atenuar a contração”, e que esses mecanismos “devem permanecer abertas até o final deste ano.” Para ele, “até superarmos esta pandemia, a economia precisa ser apoiada”.

Este ano, Harker é membro votante do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês).