Guerra provocou "enormes ameaças" para segurança alimentar, diz FMI

93
A diretora gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva / Foto: Joshua Roberts/FMI

São Paulo – Kristalina Georgieva, diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), afirmou que a invasão da Ucrânia pela Rússia provocou “enormes ameaças” para a segurança alimentar e nutricional do mundo a curto prazo.
Em conversa com o presidente do Banco Mundial, David Malpass, transmitida durante os encontros de primavera das duas instituições, os líderes pediram uma ação rápida para travar a crise alimentar que afeta os mais pobres e que resulta da subida de preços com a guerra na Ucrânia.
Georgieva recordou que o mundo viveu uma situação similar após a crise de 2008 e considerou que se pode aprender com o que aconteceu na altura.
“Os ensinamentos mais importantes que tiramos é que atuar de forma rápida e coordenada é essencial para manter o comércio livre a funcionar, para apoiar as famílias mais vulneráveis e para assegurarmos que há uma oferta suficiente de produtos agrícolas”, afirmou.
O risco de fragmentação, com as desigualdades entre países em desenvolvimento e desenvolvidos, também foi ressaltado pela diretora. Assim, Malpass e Georgieva consideraram que é necessário elaborar um plano que garanta alimentos e ajuda financeira aos países mais vulneráveis.
Malpass, por sua vez, afirmou que é preciso aumentar a oferta de alimentos, energia e fertilizantes e reforçou a importância de ação por países desenvolvidos.
O presidente do Banco Mundial também demonstrou preocupação com a desigualdade entre países, “com os juros subindo enquanto os níveis de dívida já estão altos”.