Governo pretende vender R$ 150 bi em empresas em 2020

295
Foto divulgação: Youtube

Brasília – O governo pretende vender R$ 150 bilhões em empresas este ano, afirmou o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Salim Mattar. Esse valor é referente a privatizações totais, parciais e a venda de parcelas minoritárias de mais de 300 empresas de um total de 624 empresas com participação do governo federal. As informações são da Agência Brasil.

Entre as privatizações, no entanto, não estão previstas a venda da Petrobras, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Banco do Nordeste e Banco da Amazônia também estão fora da lista. Em relação aos Correios, o secretário afirmou que a situação ainda está em análise, mas se aprovada a venda isso não ocorrerá este ano. A previsão de uma possível privatização só ocorreria em meados ou no fim de 2021.

Em relação ao projeto de privatizações de forma rápida (fast track), o secretário afirmou que o projeto já está pronto e pode ser enviado ao Congresso em fevereiro. Na proposta, seria possível incluir as empresas passíveis de privatização diretamente no Plano Nacional de Desestatização (PND), sem passar pela etapa de análise e estudos no PPI. O modelo de privatização seria elaborado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ou por bancos privados e públicos.

O secretário fez ainda um balanço das desestatizações em 2019. Foram vendidos R$ 105,4 bilhões em participações, dos quais R$ 50,4 bilhões foram referentes à Petrobras, que se desfez de subsidiárias de distribuição e de gás. Ao todo, o governo vendeu totalmente participações em 71 empresas, das quais 13.