Governo elogia Câmara por manutenção de veto a reajuste salarial

181
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia e o ministro da economia, Paulo Guedes, após a reunião no ministerio.

São Paulo – O Ministério da Economia elogiou os deputados que ajudaram a manter o veto ao reajuste de salários de funcionários públicos durante o período da pandemia de covid-19, afirmando que “a possível derrubada traria graves consequências para as contas públicas, em especial de estados e municípios”.

Ontem, os deputados mantiveram o veto do presidente Jair Bolsonaro à possibilidade de reajuste salarial para os servidores públicos diretamente envolvidos no combate à pandemia. Foram 316 favoráveis ao veto e 165 contrários. O Senado havia derrubado o veto anteriormente, mas como a votação é feita por todo o Congresso, o número de votos dados pelos deputados reverteu a decisão dos senadores.

“O Ministério da Economia parabeniza todos os deputados envolvidos na manutenção do veto do Presidente Jair Bolsonaro, que impediu temporariamente a concessão de reajustes a servidores. Neste momento importante da democracia, é preciso elogiar, da mesma forma, os senadores que votaram favoravelmente à manutenção do veto”, afirmou o Ministério da Economia em nota.

O governo vetou o dispositivo que previa a possibilidade do reajuste salarial a algumas categorias durante a pandemia de covid-19, incluindo trabalhadores do sistema de saúde nacional, e condicionou a discussão da prorrogação do auxílio emergencial e do valor das próximas parcelas do benefício caso o veto fosse mantido no Congresso.