Governo dos EUA reforça apelo para que pessoas tomem segunda dose

Foto: Casa Branca

São Paulo – As autoridades de saúde dos Estados Unidos estão reforçando os apelos para que os norte-americanos que já receberam a primeira dose voltem no prazo determinado para receber a segunda dose, completar o ciclo de imunização e garantir um controle eficiente da pandemia de covid-19 no país.

Dados apresentados pelo assessor chefe médico do presidente Joe Biden e diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, doutor Anthony Fauci, mostram que a tendência é de que entre 20% e 30% das pessoas não tomem a segunda dose das vacinas.

“Mais importante do que tomar a primeira dose é completar o ciclo de imunização com a segunda dose no prazo certo. Embora dados mostrem que há alguma proteção já na primeira dose, com as mutações, é importante que as pessoas tomem a segunda dose e estejam realmente protegidas contra a covid-19”, disse Fauci em coletiva de imprensa. “Entre 705 e 80% das pessoas completam o ciclo da imunização, mas o ideal é 100%”, acrescentou.

Os Estados Unidos autorizaram três vacinas contra a covid-19: Pizer-BioNTech, Moderna e Johnson & Johnson – sendo esta última de dose única. A recomendação, segundo Fauci, é que o intervalo de administração das duas doses da Pfizer-BioNTech seja de 21 dias, enquanto para a Moderna esse prazo é de 28 dias.

“Caso haja impedimento para obedecer a esse intervalo, a segunda dose pode ser administrada até 42 dias após a primeira dose”, afirmou Fauci.

Segundo ele, a efetividade das vacinas autorizadas nos Estados Unidos de 14 a 20 dias após a primeira dose é de 46%. Esse percentual sobe para 92% a partir do sétimo dia da administração da segunda dose. A proteção contra sintomas de covid-19 após a primeira dose é de 57%, enquanto após a segunda dose esse percentual sobe para 94%.

Os dados apresentados por Fauci mostram ainda que 74% das pessoas que tomaram apenas uma dose não são hospitalizadas, enquanto 87% escapam da internação ao completar o ciclo da imunização. Nos casos graves,  62% ficam protegidas na primeira dose e esse percentual dá um salto para 92% quando o ciclo é concluído.

“Entre as pessoas com mais de 65 anos, que fazem parte do grupo de maior risco para a covid-19, a efetividade da vacina é de 94% para aquelas totalmente vacinadas e essa proteção cai para 64% quando apenas uma dose é aplicada”, afirmou Fauci.

Segundo dados divulgados pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), o número de pessoas completamente vacinadas contra a covid-19 no país chegou a 99.668.945, ou o equivalente a 30% da população. Os norte-americanos que tomaram apenas uma dose somam 143.793.565 milhões, ou 43,3% da população.