Governo dos EUA aplica sanções sobre entidades que apoiam Irã

157
Foto: JM Griffin / freeimages.com

São Paulo – O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, anunciou novas sanções a entidades que, segundo ele, estão apoiando o  desenvolvimento de armas, normais e nucleares, na região do Irã.

Mnuchin, ao lado do secretário de Estado, Mike Pompeo, do secretário de Defesa, Mark Esper, e do secretário do Comércio, Wilbur Ross, disse que o governo sancionaria o Ministério da Defesa do Irã e Nicolas Maduro da Venezuela.

“Não importa quem você seja, se você violar o embargo de armas da Organização das Nações Unidas (ONU) ao Irã, corre o risco de sofrer sanções”, afirmou Pompeo. “Nossas ações hoje são um alerta que deve ser ouvido em todo o mundo”, acrescentou.

No sábado, os Estados Unidos reimpuseram unilateralmente as sanções da ONU a Teerã por meio de um processo de snapback, que outros membros do Conselho de Segurança da ONU haviam dito anteriormente que Washington não tem autoridade para executar.

“Se os Estados membros da ONU não cumprirem suas obrigações de implementar essas sanções, os Estados Unidos estão preparados para usar nossas autoridades nacionais para impor consequências por essas falhas e garantir que o Irã não colha os benefícios de atividades proibidas pela ONU”, disse Pompeo em uma declaração de sábado à noite.

“Nossa campanha de pressão máxima sobre o regime iraniano continuará até que o Irã chegue a um acordo abrangente conosco para conter suas ameaças de proliferação e parar de espalhar o caos, a violência e o derramamento de sangue”, disse Pompeo, acrescentando que nos próximos dias o governo Trump “irá anunciar uma série de medidas adicionais para fortalecer a implementação das sanções da ONU e responsabilizar os infratores. ”

O Enviado Especial dos Estados Unidos para a Venezuela e o Irã, Elliott Abrams, disse a repórteres na semana passada que “resta saber” se os Estados membros da ONU aplicarão as sanções reimpostas.

“Teremos alguns anúncios no fim de semana e mais anúncios na segunda-feira e, em seguida, nos dias subsequentes na próxima semana, sobre exatamente como estamos planejando aplicar essas sanções devolvidas da ONU”, explicou Abrams.

No mês passado, Pompeo se dirigiu aos 15 países membros do Conselho de Segurança da ONU e reiterou que a administração Trump continuará sua campanha de pressão máxima para controlar os programas nucleares e de mísseis de Teerã.