Governo dos EUA anuncia medidas para lidar com problemas de abastecimento

O presidente norte-americano, Joe Biden, caminha em direção ao Salão Oval da Casa Branca / Foto: Casa Branca

São Paulo – A Casa Branca anunciou medidas para fortalecer as cadeias de abastecimento norte-americanas, incluindo parcerias para lidar com a escassez de semicondutores, apoio à produção nacional de medicamentos essenciais e investimentos em baterias avançadas e minerais críticos.

As medidas visam a abordar vulnerabilidades e interrupções na cadeia de suprimentos de curto prazo, fortalecendo a competitividade doméstica, e fazem parte das conclusões de uma avaliação abrangente de 100 dias anunciada em fevereiro pelo presidente dos Estados Unidos Unidos, Joe Biden.

A avalição concentrou-se em quatro produtos críticos: fabricação de semicondutores e embalagem avançada; baterias de grande capacidade, como as de veículos elétricos; minerais e materiais críticos, como lítio e terras raras; e produtos farmacêuticos e ingredientes farmacêuticos ativos (APIs).

“Embora ampliadas pela crise de saúde pública e econômica, décadas de pouco investimento e escolhas de políticas públicas levaram a cadeias de suprimentos frágeis em uma variedade de setores e produtos”, de acordo com a Casa Branca, em comunicado.

“Ao mesmo tempo, as análises mostram que os Estados Unidos estão bem posicionados para manter e fortalecer nossa liderança inovadora e reconstruir nossa capacidade produtiva em setores-chave e cadeias de valor”.

A administração estabelecerá uma nova força-tarefa para enfrentar os desafios da cadeia de abastecimento, liderada pelos secretários de Comércio, Transporte e Agricultura, e se concentrará em construção residencial, semicondutores, transporte e agricultura e alimentos.

Segundo a Cada Branca, o Departamento de Comércio apoiou quase US$ 75 bilhões em investimentos diretos do setor privado na fabricação nacional de semicondutores, e fortalecerá sua parceria com a indústria, além de aliados e parceiros, como Japão e Coreia do Sul.

Além disso, o Departamento de Saúde estabelecerá um consórcio público-privado para reforçar a produção doméstica de medicamentos essenciais, com um compromisso de US$ 60 milhões da apropriação da Lei de Produção de Defesa para aumentar a capacidade de fabricação doméstica de APIs.

Já o Departamento de Energia lançará um Plano Nacional para Baterias de Lítio, e destinará US$ 17 bilhões para apoiar a cadeia de fornecimento de baterias domésticas, além de lançar um novo esforço para apoiar a implantação de projetos de armazenamento de energia por agências federais.

O Departamento do Interior, por usa vez, estabelecerá um grupo de trabalho para identificar locais onde minerais essenciais podem ser produzidos e processados nos Estados Unidos, colaborando com o setor privado para expandir a produção e processamento de minerais.

Por fim, a administração vai apoiar os trabalhadores norte-americanos e a inovação, investir em cadeias de abastecimento sustentáveis em casa e no exterior e combater práticas comerciais desleais.