Governo da Argentina formaliza congelamento de preços da gasolina

O presidente da Argentina, Maurício Macri. Foto: Divulgação/ Casa Rosada

Por Rafaela Aguiar

Buenos Aires – O governo da Argentina oficializou o congelamento dos preços de combustíveis pelos próximos 90 dias. A decisão foi baseada na Lei de Abastecimento após uma negociação frustrada com empresas petrolíferas a respeito do preço dos combustíveis.

O congelamento de preços havia sido anunciado esta semana por Macri em resposta à desvalorização significativa do peso desde segunda-feira, quando o mercado local pôde reagir ao resultado das eleições primárias no país.

Macri ficou em segundo lugar, 15 pontos porcentuais abaixo da chapa da ex-presidente Cristina Kirchner. As eleições primárias na Argentina servem para enxugar a lista de candidatos que disputarão a eleição de verdade, em 27 de outubro, mas o resultado foi inesperado – o mercado previa empate técnico – e considerado difícil de reverter por analistas.

Sob a decisão de Macri publicada no diário oficial argentino, as entregas de petróleo bruto efetuadas no mercado local nos próximos 90 dias “deverão ser faturadas e pagas pelo preço acertado entre as empresas produtoras e refinarias no dia 9 de agosto de 2019, aplicando uma taxa de câmbio de referência de 45,19 pesos por dólar e um preço de referência do petróleo de US$ 59 por barril”.

Também ficou definido que o preço máximo da gasolina e do óleo de aquecimento vendido pelas refinarias, em todos os canais de venda, durante o período estabelecido, não poderá ser superior ao preço vigente em 9 de agosto de 2019 – o último dia útil anterior às eleições primárias,
ocorridas no último domingo (11).

Tradução: Gustavo Nicoletta

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com