Governo argentino pede ao FMI renegociação de termos de resgate de 2018

156
Foto: Alexandre Kuyumjian / freeimages.com

Buenos Aires – O governo argentino solicitou ao Fundo Monetário Internacional (FMI) a renegociação dos termos do programa de financiamento obtido em 2018 depois que o país conseguiu fechar um acordo bem sucedido com seus credores estrangeiros que levou à reestruturação da dívida externa.

A solicitação foi feita pelo ministro da Economia argetino, Martín Guzmán, e pelo presidente do país, Alberto Fernández, durante conversa mais cedo com a diretora gerente do FMI, Kristalina Georgieva.

“A crise que hoje atinge nosso país foi aprofundada por um acordo rápido com o FMI em 2018, insustentável, realizado de costas para a sociedade. De outra forma, o caminho para chegar a um programa que ajude a Argentina é caminhar de frente para a sociedade “, disse Guzmán em uma mensagem no Twitter.

Em outra publicação, ele indicou que “um novo acordo que inclua um reescalonamento dos vencimentos da dívida com o FMI é um passo necessário para resolver a crise econômica a que o país tem sido conduzido nos últimos anos e assim poder colocar e manter a Argentina de pé”.

Anteriormente, o próprio Fernández anunciou em ato que o governo havia entrado em negociações oficiais com o Fundo para a dívida de US$ 44 bilhões. “Com a chefe do FMI, concordamos que sem pressa, mas sem pausa, começaremos a trabalhar para ordenar a desordem que herdamos do governo anterior e do Fundo”, afirmou Fernández.

Tradução: Carolina Gama