Girão tentará negociação para ser eleito presidente da CPI da covid

Senador Eduardo Girão (Podemos-CE). (Foto: Roque de Sá / Agência Senado)

São Paulo – O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) tentará um acordo de última hora para ser eleito presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará se houve erros e omissões do governo no combate à pandemia de covid-19. Até o momento, há acordo para que o senador Omar Aziz (PSD-AM) seja eleito presidente. A votação é secreta e deve começar a partir das 10h.

“Acredito que essa CPI precisa ter credibilidade. O povo brasileiro quer a verdade, não apenas uma parte da verdade, e para isso precisa começar bem a CPI. Não pode ter conflito de interesse no comando da CPI. Precisa ter isenção, independência”, disse Girão.

O senador é autor de um dos requerimentos que foram aprovados para a abertura da CPI. O pedido original, apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), solicitava a investigação de erros e omissões do governo federal, enquanto o requerimento de Girão, que foi apensado ao de Rodrigues, amplia o escopo da investigação para o uso da verba federal para o combate à covid-19 distribuída para os estados e municípios.

O requerimento de Girão, na prática, ampliou o foco da investigação para além do governo federal, incluindo no inquérito as administrações regionais – algo positivo para o presidente Jair Bolsonaro, que temia ser o único alvo das investigações abertas pelo Senado. Em seu pronunciamento de hoje, Girão ressaltou a necessidade de haver “equilíbrio maior” na CPI.

“Tenho poucos votos hoje. Mas vou tentar ainda, saindo daqui, costurar para que haja equilíbrio maior nesta CPI – eu como presidente vou tentar com colega Randolfe Rodrigues que seja meu vice-presidente e fazer proposta para ele que ele divida a presidência, alterne a presidência. Ou seja, eu posso iniciar e ele terminar. Seria justo isso”, disse Girão.

“Como ele é oposicionista declarado, colocaríamos na relatoria, para dar contrapeso, o senador Marcos Rogério (DEM-RO), que conhece bem CPI, que tem conhecimento, que é equilibrado, e não tem conflito de interesse para estar em relatoria, não tem filho governador, não tem parentes próximos como prefeito”, disse Girão, num ataque indireto ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), que deve ser o relator da CPI caso Aziz seja eleito presidente. O filho de Renan Calheiros, Renan Filho, é o atual governador de Alagoas.