Filho do ex-ministro Edison Lobão é preso em nova fase

Por Gustavo Nicoletta

São Paulo – A força-tarefa da Lava Jato lançou uma nova fase da operação e prendeu Márcio Lobão, filho do ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão. O objetivo dos investigadores é obter mais informações sobre um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro relacionado à Transpetro, subsidiária da Petrobras, e à Usina Hidroelétrica de Belo Monte.

Segundo o Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR), as investigações apontam que, ao menos entre 2008 e 2014, Edison e Márcio Lobão solicitaram e receberam R$ 50 milhões em propinas dos Grupos Estre e Odebrecht, e há evidências de atos de lavagem de dinheiro se estendendo até este ano.

Além dos crimes de corrupção relativos à participação da Odebrecht no contrato de construção da Usina de Belo Monte, que foram objeto de uma ação penal anterior, os investigadores apuram potenciais irregularidades em mais de 40 contratos avaliados em R$ 1 bilhão celebrados pelas empresas Estre Ambiental, Pollydutos Montagem e Construção, Consórcio NM Dutos e Estaleiro Rio Tietê.

“Em ambos os esquemas criminosos as provas indicam que as propinas foram entregues em espécie em escritório advocatício ligado à família Lobão, localizado no Rio de Janeiro”, disse o MPF-PR em comunicado.

Os procuradores também disseram que a lavagem de dinheiro ocorreu por diferentes formas – aquisição e posterior venda de obras de arte supervalorizadas, simulação de operações de venda de imóvel, simulação de empréstimo com familiar, interposição de terceiros em operações de compra e venda de obras de arte, e movimentação de valores milionários em contas abertas em nome de empresas offshore no exterior.

De acordo com o MPF-PR, no período destas transações foi possível verificar um incremento de mais de R$ 30 milhões no patrimônio de Márcio Lobão.