Fed considera uso de dólar digital e não fará nada sem apoio do Congresso

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell / Foto: Fed

São Paulo – O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) está explorando o uso do dólar digital, mas não tem pressa em sua adoção e não fará nada sem o apoio do Congresso, disse o presidente da instituição, Jerome Powell.

“Estamos explorando o uso de moedas digitais emitidas por bancos centrais (CBDC, na sigla em inglês)”, disse Powell, ao participar de um evento virtual do Banco de Compensações Internacionais (Bank of International Settlements, BIS) sobre inovação no setor bancário.

“Não vamos tomar uma decisão agora”, disse ele. “Somos a principal reserva mundial, não precisamos ter pressa”, afirmou Powell, em referência ao dólar, acrescentando que é preciso analisar se o público quer ou precisa do dólar digital.

Ele destacou que qualquer decisão terá implicações no mundo todo, em especial dentro do país. “Vamos engajar com o público nos Estados Unidos antes de abordar qualquer decisão”, disse o presidente do Fed, acrescentando que também é necessário apoio político. “Não vamos seguir com isso sem apoio do Congresso”.

Powell disse ainda que é necessário garantir que o dólar digital não criaria riscos para a estabilidade financeira do país. “Não queremos desestabilizar nosso sistema de duas camadas”, disse. Ao mesmo tempo, ele afirmou ser obrigação do Fed entender os desafios da tecnologia.

Segundo Powell, o fato de o Fed considerar o uso do dólar digital “não é motivado pelos critoativos e stablecoins”, e sim porque a tecnologia tornou isso possível.

“Criptoativos são voláteis”, disse, citando os riscos de ativos digitais privados. “São ativos para especulação, não usados como meios de pagamentos. São substitutos melhor do ouro do que do dólar”, disse, afirmando que critoativos privados não são boas reserva de valor.

Powell disse ainda que o Fed trabalha para que a inteligência artificial permita a alocação de crédito de forma não discriminatória. “Não é uma questão fácil”, afirmou. “Trabalhamos nisso há anos”.

Por fim, ao ser questionado sobre o que quis dizer na semana passada ao afirmar que a pandemia de covid-19 acelera a digitalização do sistema financeiro, Powell disse que “na fase aguda da crise precisamos que pessoas tenham acesso a pagamentos rapidamente.”

Segundo ele, houve uma aceleração imediata nos gastos dos consumidores norte-americanos após a chegada dos pagamentos de emergência. Além disso, “as pessoas precisam acessar o sistema financeiro de forma remota”. A pandemia também “destaca a importância da inclusão em nosso sistema financeiro”, concluiu.

No final do mês passado, em depoimento ao Congresso norte-americano, Powell disse que dólar digital é uma das prioridades do Fed em 2021.