Federal Reserve começará a comprar títulos corporativos no mercado primário

334
Fachada do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) / Foto: Fed

São Paulo – O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) iniciou oficialmente um programa de financiamento de US$ 500 bilhões para apoiar a emissão de dívida por parte de grandes empresas, o mais recente de nove programas de emergência em execução para conter os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com comunicado, o Fed oferece duas formas de as empresas participarem no programa: o banco central norte-americano vai comprar dívida sindicalizada elegível juntamente com outros investidores e comprar também dívidas elegíveis como investidor único.

Nesta última opção, o Fed informou que os preços das dívidas vão estar sujeitos a spreads mínimos e máximos em relação aos yields das obrigações soberanas com maturidades comparáveis.

“Estes limites vão variar com base na classificação de crédito de um emissor elegível a partir do dia em que o Fed comprar a dívida”, diz a nota.

O programa do Fed está aberto a empresas com classificação de risco elevado até 22 de março, mas que foram subsequentemente rebaixadas em um nível depois. As empresas devem certificar que possuem operações significativas e que a maioria de sua força de trabalho está nos Estados Unidos.

O programa não está aberto a bancos, holdings ou suas subsidiárias, bem como empresas que receberam apoio específico da legislação federal para fornecer alívio à pandemia do novo coronavírus.

Ontem, o Fed identificou 794 empresas cujos títulos estão sendo adquiridos para apoiar diretamente o mercado de títulos corporativos. Os maiores beneficiários incluem Apple, Verizon, AT&T e unidades da Toyota, da Volkswagen e da Daimler nos Estados Unidos.