Fed mantém juros entre zero e 0,25% em decisão unânime

190
Edifício do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) / Foto: Fed

São Paulo – O comitê de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) manteve a taxa básica de juros do país entre zero e 0,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão foi unânime.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) reiterou que os juros continuarão neste nível “até estar confiante que a economia superou os eventos recentes e está a caminho de atingir os objetivos de máximo emprego e de estabilidade de preços”, segundo comunicado divulgado pelo grupo.

O comitê também disse que “ao longo dos próximos meses” vai aumentar a posição em títulos do Tesouro dos Estados Unidos e de agências securitizadoras de hipotecas e que o ritmo de compras será “pelo menos igual ao atual” para sustentar o funcionamento do mercado. No comunicado anterior, este trecho do comunicado dizia que as compras continuariam “na quantidade necessária”.

O grupo também disse que seguirá promovendo em larga escala as chamadas operações repo – em que oo Fed compra títulos públicos detidos pelas instituições financeiras desde que elas recomprem esses papéis no futuro.

“O comitê vai monitorar os acontecimentos de perto e está preparado para ajustar os planos conforme apropriado”, acrescentou o Fomc no comunicado, também alterando levemente este trecho do comunicado em relação à reunião anterior, quando havia dito que monitoraria de perto “as condições do mercado”.

SINAIS DE MELHORA

A maior parte do comunicado com a decisão de política monetária permaneceu intacta em relação à reunião anterior. Um dos pontos que foram alterados, porém, foi o trecho em que o Fed avalia o impacto da covid-19 sobre a economia.

Se antes o Fomc via o surto e as medidas de contenção da pandemia como exercendo uma ação negativa sobre a economia, agora as autoridades indicam que o impacto chegou ao seu limite.

“O vírus e as medidas tomadas para proteger a saúde pública induziram declínios acentuados na atividade econômica e um aumento nas perdas de emprego”, diz o comunicado. Antes, neste trecho, o grupo dizia que a pandemia “estava induzindo” perdas na atividade e no emprego.

O grupo também avaliou que “as condições financeiras melhoraram, em parte refletindo políticas para apoiar a economia e o fluxo de crédito para as famílias e empresas dos Estados Unidos”. O mesmo trecho do comunicado na reunião anterior falava que as interrupções da atividade econômica “afetaram significativamente as condições financeiras e prejudicaram” o fluxo de crédito.

O Fed, porém, manteve a avaliação de que “a crise de saúde pública em andamento vai afetar pesadamente a atividade econômica, o emprego e a inflação no curto prazo, e traz riscos consideráveis à perspectiva econômica de médio prazo”.